Agrônomo fala sobre estado do gramado do Arruda e espera melhorias até estreia do Pernambucano

Adaury veloso;  Alvo de críticas no ano passado, o gramado do estádio do Arruda vem passando por um processo de melhorias desde dezembro de 2016. Sobre as mudanças, Peter Gati, engenheiro agrônomo, explicou em entrevista como está sendo feito o trabalho de reaqualificação e os motivos da irregularidade do campo de jogo. Segundo ele, o estado da grama deve apresentar uma evolução até a estreia do Campeonato Pernambucano, marcada para o dia 29 deste mês.

“Em algumas partes nós chegamos a substituir realmente a grama, tirando todo esse massapê que estavam por baixo, para substituir por areia, que permite uma melhor drenagem, e assim melhorar o estado do gramado”, disse.

Perguntado se os próximos treinos e o jogo de sábado (21), contra o Paysandu-PA, pela Taça Asa Branca, poderiam dificultar a evolução do gramado, Peter afirmou que já estava dentro do programado e que não vai atrapalhar. “Está dentro do programado, inclusive, vai ter treino amanhã e o jogo no sábado. Depois teremos 15 dias de descanso do gramado para continuar o trabalho e a tendência é que para o primeiro jogo do Pernambucano ele já esteja com outra cara”, declarou.

O engenheiro ainda destacou que o fato do campo do Arruda receber muitos treinos acaba desgastando e dificultando o trabalho. “No gramado da Arena Pernambuco e nos estádios modernos têm, no máximo, um treino antes do jogo para depois ter a partida. Já aqui tem treino diariamente, muitas vezes em dois períodos do dia. Então acaba desgastando e não permite que o gramado tenha o descanso necessário para ter uma recuperação. É aquela história, se a gente tem que trabalhar desta forma, vamos fazer de tudo para que fique melhor a cada dia”, finalizou Peter Gati.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *