Brasil derrota Argentina e está na final da Copa América;

ADAURY VELOSO = ols da Seleção tiveram marca de Gabriel Jesus, que fez o primeiro e deu assistência para Roberto Firmino fazer o segundo;

Um clássico frenético, disputado, com a rivalidade que representa a história do jogo. Dos confrontos entre as duas seleções. Sete títulos de Copas do Mundo. Vinte e quatro de Copa América. Pela semifinal da Copa América, em duelo que nunca ocorreu na história da competição, Brasil e Argentina duelaram no Mineirão. À sombra do fantasma no fatídico 7 a 1 contra a Alemanha, o estádio viu a Seleção de Tite derrotar por 2 a 0 os Hermanos.
Brilhou a estrela do atacante Gabriel Jesus, que fez o primeiro gol e deu assistência para Roberto Firmino ampliar o placar. Assim se redimindo após quase dois anos sem marcar gols em jogos oficiais, desde as Eliminatórias para a Copa do Mundo, em 2017. Mas mais do que ressurgir um jogador, foi a Seleção que encontrou o caminho do bom futebol. Sem apatia. E que agora tem a chance de levantar a 10ª taça na Copa América, enquanto a Argentina ficou no meio do caminho.

O jogo 

Agressivo, foi o Brasil quem tomou as rédeas da partida. Quem procurava mais achar espaço para agredir os argentinos. Que, sentindo dificuldade em propôr o jogo, abusaram em fazer faltas. Mas só parou por aí. Isso porque, logo no primeiro minuto do duelo, Firmino recebeu bola rebatida nas costas e, dentro da área, chutou para defesa de Armani. Mesmo com o lance impedido, esta foi a postura da Seleção Brasileira na primeira etapa. Ofensiva.  Mas sem se expôr na defesa e não dando brechas para o adversário jogar.
Assim, só restou à Argentina o brilho de jogadas individuais. Quando apareciam. Sem conseguir povoar o meio de campo, com Messi, seu principal jogador, apagado e sem conseguir criar, foi de longe que surgiu a primeira chance dos Hermanos na primeira etapa.  Paredes recebeu na intermediária, arriscou com um fortíssimo chute e a bola tirou tinta da trave de Alisson.
Porém, o domínio brasileiro não demorou a ser convertido em bola na rede. Com brilho de Daniel Alves, o melhor em campo na primeira etapa. O camisa 13 da Canarinha, aos 18 minutos, tirou dois, deu um toquinho para Firmino tocar, na pequena área, para Gabriel Jesus completar para as redes do goleiro Armani. Com o gol, encerrou a seca de tentos em jogos oficiais, algo que não fazia desde a última rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo, em 2017.
À frente do placar, tendo finalizado uma única vez no primeiro, a Seleção não conseguiu imprimir o modelo de jogo agressivo mostrado no início da primeira etapa.  Esfriou o confronto. Ponto que foi explorado pelos argentinos, que encontraram tranquilidade, desta vez, para jogar. Tanto é que conseguiram uma bola na trave, em jogada encabeçada por Messi.  Mas todas as chances criadas, à exceção desta, não tiveram êxito. Na verdade, passaram longe da meta adversária. Sorte do Brasil.

Segundo Tempo 

Mas foi a Argentina quem voltou melhor para o segundo tempo. Principalmente porque encontrou o lugar de Messi no campo. Ele voltou à posição de origem, não mais recuado, como na etapa inicial. Tanto é que, em um intervalo de quatro minutos, três investidas foram criadas pelos Hermanos.
O Brasil respondeu aos 10 minutos. Teve a chance, inclusive, de ampliar o marcador para 2 a 0. Mas falhou. Gabriel Jesus fez um linda jogada na pequena área e enfiou para Phillipe Coutinho, sozinho, arrematar no gol de Armani. Porém, chutou para longe, muito longe do gol argentino.
Aproveitando as falhas brasileiras, os Hermanos foram crescendo. E, por pouco, com Messi, que chutou na trave de Alisson, não empatou o jogo aos 11 minutos. Em seguida, mais uma chance. Desta vez, de falta, aos 18. O craque argentino chutou no ângulo direito de Alisson, que estava bem posicionado no lance e defendeu com segurança. Em criação de jogadas, o melhor jogo da Argentina até aqui na Copa América.
De um lado, euforia. De outro, apreensão. Esta, que tomava, cada vez mais, conta da torcida do Brasil no Mineirão. Até os 25 minutos. E, de novo, com a participação – desta vez salvadora – de Gabriel Jesus. Que puxou o contra-ataque do meio de campo até a pequena área, ganhou de Otamendi e só teve o trabalho de tocar para Firmino empilhar as redes hermanas pela segunda vez na partida. O gol do alívio. Da classificação à final da Copa América.

Ficha do jogo

Brasil 2
Alisson, Marquinhos (Miranda), Thiago Silva, Daniel Alves, e Alexsandro; Phillipe Coutinho, Casemiro, Arthur,  Éverton (William), Gabriel Jesus e Roberto Firmino.
Argentina 0
Armani, Foyth, Pezzella, Otamendi, Tagliafico, Paredes, Acuña (Di María), De Paul (Lo Celso),  Aguero, Lautaro Martínez, , Messi
Cartões amarelos: Tagliafico (A), Acuña (A), Daniel Alves (B), Lautaro Martínez (A), Foyth (A)
Gols: Gabriel Jesus, aos 18 minutos do 1T, Roberto Firmino, aos 25 minutos do 2T
Público: 52.235 torcedores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *