Clássico com espírito de clássico: Santa Cruz e Sport duelam com rivalidade

Adaury veloso;

Um clássico com espírito de clássico. Às 16h30 deste sábado, no Arruda, Santa Cruz e Sport medem forças naquela que será a partida mais apimentada do Pernambucano até aqui. Por enquanto, os confrontos do Estadual têm sido frios, com arquibancadas quase vazias e equipes visivelmente desinteressadas. Agora, elementos não faltam para tornar este Clássico das Multidões um duelo à altura dos dois clubes. Temperado pelas provocações do rubro-negro Everton Felipe e aos pedidos de respeito dos tricolores, o confronto deve receber o maior público da competição. Em jogo, está ainda a invencibilidade dos times na temporada.

Os tricolores admitem que a semana pré-clássico foi diferente das demais de 2017. O goleiro Júlio César já enfrentou o Sport defendendo o Náutico e também o Corinthians, mas nunca com a camisa do Santa Cruz. Apesar do pouco tempo no Arruda, notou que o comportamento da torcida mudou nos últimos dias. “Essa semana foi diferente nas ruas e nas redes sociais. O torcedor fica um pouco mais ansioso para que esse dia chegue”, disse.

Ao contrário dos seus comandados, o técnico Vinícius Eutrópio assegurou que se manteve alheio às zoações de Everton Felipe. Mas sabe que a carga emocional, já intrínseca a clássicos como este, é bastante alta. “Não se pode tratar um jogo de rivalidade igual aos outros. Não trato. Vale os mesmos três pontos, mas o valor da vitória tem um peso e um teor muito bom, saboroso demais para quem ganha e muita mágoa para quem perde.”

Até mesmo o folclore que a torcida coral já se criou em cima do atacante Halef Pitbull após os três gols que fez na partida passada, contribuiu para o clima de acirramento da rivalidade e da expectativa por uma duelo dele com os atacantes leoninos Diego Souza e o recém-chegado André, que vai iniciar na reserva. “Num jogo com esse peso, esses jogadores criam uma energia positiva com a torcida que pode ser importante para o grupo todo ali dentro”, avaliou Eutrópio.

Sport

Pelo lado rubro-negro, o clima também é de um jogo especial. Tanto que em nenhum momento o técnico Daniel Paulista cogitou manter o planejamento utilizado pelo clube no Estadual de escalar um time alternativo. Assim, o Sport vai a campo com o que tem de melhor no momento, com direito ao time titular passar a semana inteira se preparando apenas para a partida, já que na quarta-feira, contra o Belo Jardim, o treinador leonino escalou apenas reservas e atletas da base.

“O clássico é um jogo diferente que mexe com a cabeça do jogador e pede uma concentração muito grande. Tivemos uma semana inteira de preparação na perspectiva de mostramos um bom futebol e buscar o resultado. Sport e Santa Cruz sempre fizeram jogos quentes”, pontuou Daniel Paulista.

Temperatura que aumentou ainda mais com as provocações de Everton Felipe, o principal personagem do jogo antes mesmo da bola rolar. Sem se intimidar, o prata da casa rubro-negro, de apenas 19 anos e que adora lembrar que “o Santa Cruz é Série B”, prometeu mais gozações com os tricolores caso marque um gol no Arruda. “Se eu fizer um gol, vai ter provocação, sim. Então, é melhor eles não deixarem isso acontecer”, cutucou. Os corais disseram que a resposta terá que vir dentro de campo.

Ficha do jogo

Santa Cruz
Julio Cesar; Vitor, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Elicarlos, David, Léo Costa (Thiago Primão, William Barbio ou André Luís) e Thomás; Everton Santos e Halef Pitbull. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Sport
Magrão; Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Mansur; Rithely, Ronaldo, Everton Felipe, Diego Souza e Rogério; Leandro Pereira. Técnico: Daniel Paulista.

Estádio: Arruda (Recife-PE). Horário: 16h30. Árbitro: Sebastião Rufino Filho (PE). Assistentes: Marlon Rafael Gomes de Oliveira (PE) e Bruno César Chaves Vieira (PE). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (arquibancada superior e inferior). Sócios do Santa Cruz em dia não pagam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *