Clássico dos Clássicos e o peso da disparidade;

ADAURY VELOSO = Diferença entre Náutico, agora na Série B, e Sport, de volta à elite, pode ficar visível ou desaparecer em tira-teima neste domingo ,

Sport e Náutico não ocupam a mesma divisão do futebol brasileiro desde 2012, quando ambos estavam na Série A. O Timbu já esteve acima no âmbito nacional, mas depois foi vez de o Leão encarar o adversário olhando para baixo. Acontece que nem sempre o time que está melhor situado consegue reproduzir na prática a vantagem que tem na teoria. Principalmente em início de temporada, época em que os times ainda estão se reforçando, ganhando entrosamento e desenvolvendo a parte física e tática. Em 2020, os rubro-negros disputarão a Série A. Os alvirrubros, a B. Diferença que pode ficar visível ou desaparecer já no domingo, no Clássico dos Clássicos, nos Aflitos, na estreia do Campeonato Pernambucano.

Folha de Pernambuco analisou os duelos entre Náutico e Sport dos últimos sete anos, com foco exclusivamente nos jogos válidos pelo Pernambucano. Em 2013, o Timbu estava na Série A, enquanto o Leão participaria no segundo semestre da Série B. Na única partida entre os clubes, vitória leonina por 2×1.

No ano seguinte, papéis invertidos. O Sport voltou à Série A e o Náutico caiu para a B. Foram quatro jogos pelo Pernambucano. Dois triunfos de cada lado. Porém, enquanto as vitórias dos alvirrubros foram na primeira fase, os rubro-negros ganharam nas finais e levaram o troféu do torneio. No Estadual de 2015, a supremacia vestiu vermelho e preto, com duas vitórias nos dois compromissos realizados.

O ano de 2016 também não favoreceu o Náutico. Ainda na Série B, o time jogou duas vezes contra o Sport (Série A), perdendo uma e empatando outra. Na temporada seguinte, em 2017, o Timbu novamente teve melhor desempenho apenas na fase inicial. Um triunfo e um empate. Depois, nas semifinais, um resultado de igualdade e um tropeço.

O caso mais curioso é o de 2018. O Sport estava na Série A pelo quinto ano consecutivo. O Náutico jogaria meses depois a Série C. A maior disparidade de cenário entre os clubes na década. Resultado? No único Clássico dos Clássicos, o Timbu acabou com o favoritismo do rival com uma vitória por 3×0. Já no ano passado, com o Alvirrubro ainda na terceira divisão e o Rubro-negro na Segundona, o Leão levou a melhor. Dois triunfos e um tropeço, ganhando a final do Pernambucano contra a equipe vermelha e branca nos pênaltis.

Em 2020, o Sport voltou à Série A e o Náutico regressou à B. O Timbu apostou na manutenção de boa parte da base campeã da Série C, além de trazer velhos conhecidos, como Erick e Kieza. O Leão renovou com seu artilheiro, Hernane Brocador, e também conta com o regresso de um antigo jogador, Rithely, mantendo uma lista de reforços sem grandes estrelas. Domingo, nos Aflitos, o tira-teima para saber o peso que a disparidade das divisões terá no Estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *