Com um a menos Santa Cruz arranca empate diante do Sport

Adaury veloso;  O Clássico das Multidões foi bem disputado. Brigado no começo, estudado no meio e cheio de garra no fim, o espetáculo só não foi melhor porque a arbitragem foi o grande destaque do jogo. Sebastião Rufino Filho e seus assistentes não fizeram um bom trabalho e acabaram prejudicando o Santa Cruz em dois lances capitais. Na não-expulsão de Leandro Pereira e no impedimento de Halef Pitbull, que não existiu. O Sport não tem nada a ver com isso e aproveitou para ganhar um ponto fora de

O Clássico das Multidões foi bem disputado. Brigado no começo, estudado no meio e cheio de garra no fim, o espetáculo só não foi melhor porque a arbitragem foi o grande destaque do jogo. Sebastião Rufino Filho e seus assistentes não fizeram um bom trabalho e acabaram prejudicando o Santa Cruz em dois lances capitais. Na não-expulsão de Leandro Pereira e no impedimento de Halef Pitbull, que não existiu. O Sport não tem nada a ver com isso e aproveitou para ganhar um ponto fora de casa.

Dois personagens: Bruno Chaves (o bandeira) e Diego Souza

PUBLICIDAD

O primeiro tempo teve dois personagens principais. E se engana quem pensa que Everton Felipe, que falou muito durante a semana, foi um deles. Primeiro, Bruno Cesar Chaves, árbitro assistente que induziu o juiz Sebastião Rufino ao erro, ao marcar impedimento inexistente de Halef Pitbull em lance que poderia ter originado a expulsão de Magrão. O outro, Diego Souza, que não tem nada a ver com isso, aproveitou a única chance que teve e marcou um golaço deixando o Sport em vantagem.

As equipes entraram em campo esbanjando vontade e o clima esquentou porque jogadores corais entravam de maneira mais firme na marcação de Everton Felipe, principalmente, o lateral Roberto. A qualidade não foi tão chamativa quanto a garra e foram poucas as chances criadas no primeiro tempo.

O lance capital, que poderia ter mudado a história da etapa inicial aconteceu aos 24. David fez bela enfiada para Alef Pitbull que ganhou na velocidade e ia driblando Magrão. O goleiro rubro-negro saiu nas pernas do atacante coral e o derrubou. Rufino já caminhava para expulsar o goleiro rubro-negro, quando o assistente Bruno Chaves levantou a bandeira, marcando impedimento inexistente. O lance foi impugnado, gerando fortes reclamações de Vinícus Eutrópio.

Sem culpa pelo erro do árbitro, o Sport aproveitou o desequilíbrio do time coral. Aos 26, Everton Felipe cobrou escanteio e Rithely desviou de cabeça para bela defesa de Julio Cesar, que deu um tapa por cima do gol.

Aos 40, o Sport trocou passes no meio-campo e Ronaldo fez assistência para Diego Souza – que nada tinha feito no jogo – mas ajeitou e mandou um balaço de esquerda no ângulo de Júlio Cesar, abrindo o placar.

Menos um para o Santa. Pitbull marca de novo

O segundo tempo começou com uma expulsão. O atacante André Luiz, que nada tinha feito no jogo além de tomar um cartão amarelo, tentou simular um penalti e foi expulso saindo na maca. A posse de bola do Sport aumentou muito com um homem a mais em campo, mas o Leão não conseguiu traduzir o domínio em chances.

Na raça, o Santa foi para cima. Roberto passou por dois e inverteu o jogo com Vitor, que deu bela enfiada para Everton Santos nas costas de Mansur. O atacante do Santa bateu para o meio da área, a bola passou por todo mundo e sobrou para Thomás que deu assistência para Pitbull empatar e fazer a festa com a torcida coral.

Depois, o Sport teve duas chances com Rogério. Na primeira, ele limpou a zaga e bateu, mas a bola desviou e foi para fora. Na segunda, ele deu forte chute de fora da área e Julio Cesar fez bela defesa.

Aos 28, Welligton Cesar desceu pela esquerda, deu corte em Samuel Xavier e deixou David em condições para fazer o gol. O volante tricolor bateu forte e Ronaldo Alves salvou em cima da linha.

O Sport voltou a ter chances no fim do jogo. Com o time do Santa cansado, o Leão dominou o meio campo e teve boas chances em falta batida por Diego Souza e em cabeçada em Ronaldo Alves que passou raspando a trave.

 

SANTA CRUZ: Julio Cesar, Vitor, Jaime, Bruno Silva e Roberto; Elicarlos (Welligton Cesar), David e Thomás (Thiago Primão); Everton Santos, André Luis e Halef Pitbull (Willian Barbio). Técnico:

SPORT: Magrão, Samuel Xavier, Ronaldo Alves, Durval e Mansur; Ronaldo (Rodrigo), Rithely, Diego Souza; Everton Felipe (Lenis), Leandro Pereira (André) e Rogério

Árbitro: Sebastião Rufino Filho

Assistentes: Marlon de Oliveira e Bruno Cesar Chaves

Cartões amarelos: Leandro Pereira, Rogério, Ronaldo (Sport); Wellington Cesar, Julio Cesar, Thomás, Alef Pitbull, André (SC)

Cartões vermelhos: André Luis

Público: 12.408 torcedores

Renda: R$ 135.830,00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *