Dado pode ter quatro novidades para Clássico das Emoções

Adaury veloso;  A necessidade foi a “mãe” das mudanças no Náutico na estreia da temporada 2017. Por mais que o técnico Dado Cavalcanti tenha elogiado o desempenho dos titulares que atuaram na goleada por 4×0 diante do Uniclinic, na Copa do Nordeste, ele tinha em mente uma equipe diferente da que entrou na Arena de Pernambuco. Mas as lesões de Anselmo e Marco Antônio, além dos problemas de regularização de Alison e Dudu, impediram que o clube utilizasse sua força máxima. Porém, diante do Santa Cruz, pelo Hexagonal do Título do Campeonato Pernambuco, o comandante terá quarteto à disposição.

Regularizado, o meia Dudu deve ocupar a vaga de Jefferson Renan. Já Alison, outro que teve seu nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), ainda não tem sua presença garantida no clássico. Isso porque um dos seus concorrentes diretos, Anselmo, está recuperado de uma lesão na coxa direita e já declarou que se sente pronto para estrear pelo Timbu.

“Minha forma física está próxima do ideal. Nos dias que não pude treinar e jogar, eu trabalhei forte. Até brinquei: ou a máquina da ressonância está com problema ou os médicos daqui são os melhores do mundo. Eu não sinto dor nenhuma”, afirmou. Sobre a disputa com Alison, o centroavante aproveitou para citar que pode ser utilizado de outra forma.

“Alison tem uma característica de jogar mais centralizado. Dado já conversou comigo dizendo que eu posso ser usado de forma diferente. Tenho facilidade de jogar nas duas funções, pelos lados ou no meio”, completou.

A outra novidade é no meio-campo. Poupado do treino desta quinta (26), o meia Maylson deve voltar aos trabalhos na sexta (27). O exame de imagem feito no atleta não apontou lesão. Uma notícia que poderia abalar o meia Cal, que entrou de frente contra os cearenses. Mas com uma seriedade atípica para atletas da base, o jogador contou qual seu diferencial para levar a melhor na disputa.

“Acho que eu e Maylson temos características parecidas. Eu me considero inteligente, com qualidade no passe e a bola parada é algo que tenho a mais que ele. Mas Maylson é mais maduro”, frisou. “Já disse que eu não tenho medo da concorrência. Estava trabalhando, surgiu a oportunidade e joguei bem. Independente se Dado me colocar de frente ou não, estarei tranquilo”, apontou.

Ainda sem data para voltar aos treinamentos, Marco Antônio segue como dúvida. Com relação ao lateral-esquerdo Giovanni, o atleta ainda aguarda a regularização para ficar apto. Caso não consiga a tempo, o Náutico deve entrar com Manoel no setor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *