Dal Pozzo valoriza autoestima do grupo;

ADAURY VELOSO –

Treinador estreia com vitória nos Aflitos e enaltece importância do Náutico jogar em seu estádio;  É sempre bom estrear com vitórias. E quando o triunfo é importante como foi o da partida entre Náutico e Campinense, nos Aflitos, é ainda melhor. Gilmar Dal Pozzo, treinador que substituiu Márcio Goiano teve este desafio. Levar o time a campo para uma decisão, que valia o calendário do primeiro semestre de 2020, com apenas um treinamento. Para ele, o fator mais importante para esta partida foi a recuperação da autoestima dos jogadores, além disso, dividiu o mérito do triunfo com seu antecessor, que foi demitido no último domingo.

“O grande desafio era recuperar a autoestima e mexer com a atitude do grupo. Ainda temos muito a melhorar e progredir. Porém, é humanamente impossível com um treino, eu dizer que é um trabalho meu. Eu divido com o Márcio (Goiano) todo o mérito dessa classificação. O que aconteceu hoje e o que faremos no jogo de sábado é ainda é reflexo do trabalho desenvolvido por ele”, contou o comandante timbu.
Quanto ao que foi desenvolvido em campo, Dal Pozzo coloca que ficou satisfeito com o que os jogadores desempenharam no início da primeira etapa e que o time melhorou com as alterações do segundo tempo. “Sabíamos da dificuldade. Tivemos um bom domínio nos primeiros 25 minutos e poderíamos já ter saído na frente. Depois disso, o adversário equilibrou o jogo e começou a apostar na bola longa, pois a gente ficou mais exposto. No segundo tempo, eu gostei mais. Fizemos uma substituição e colocamos dois atacantes, tirando um volante. A equipe ficou menos exposta e fizemos um jogo mais equilibrado.”
Com dificuldades para montar o time devido aos desfalques de diversos jogadores no departamento médico, o treinador ainda colocou que uma vitória como esta – com diversos atletas possuindo menos rodagem – é fundamental para a criação de um grupo forte.
“A vitória foi fundamental para a autoestima dos atletas. Tu só conquista título se tiver força de grupo. Temos jogadores fora, mas isso não se justifica em um grupo profissional. Quem está sem jogar tem que continuar treinando para estar preparado para aproveitar a oportunidade. Os atletas têm que entender que precisam ter competitividade entre eles. Eu não tenho apenas 11 titulares. Quero um grupo pronto, pois nós vamos precisar na Série C”.
Apesar de estar começando sua segunda passagem, Gilmar Dal Pozzo também fez sua estreia nos Aflitos e enalteceu a força da casa alvirrubra, que disse ser um caldeirão. “Jogar aqui (nos Aflitos) é sensacional. Eu vibrei quando o Náutico voltou a jogar aqui. Esta é a casa do Náutico. É um caldeirão. Sei que é difícil vir jogar aqui, já estive aqui como atleta. Os Aflitos podem fazer a diferença até para o nosso estilo de jogo que tem bastante imposição física”, completou o técnico alvirrubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *