Daniel Bueno tem futuro em xeque no Náutico ;

ADAURY VELOSO ;

Roberto Fernandes reconheceu que atacante ‘não se encaixou’ no estilo de jogo do time alvirrubro por ter características diferentes das que o time possui ;

O técnico Roberto Fernandes fez questão de elogiar o elenco do Náutico após a vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo de Arcoverde, que recolocou o alvirrubro na liderança do Campeonato Pernambucano, mesmo utilizando mais uma vez um time alternativo. Porém, um jogador em especial deixou o campo novamente devendo um futebol convincente. Substituído aos cinco minutos do segundo tempo, o atacante Daniel Bueno completou sua sexta partida pelo Timbu sem ter marcado um gol sequer. Desempenho que coloca em xeque o seu futuro no clube.

Apesar de não querer criticar abertamente o jogador, Roberto Fernandes reconheceu que o experiente avançado, de 34 anos e passagens pelo interior de São Paulo e de mercados periféricos do futebol como Malta, Iraque e Polônia ainda está devendo no Náutico. E por isso, já vislumbra uma possível não permanência para a Série C.
“O camisa nove, assim como o camisa um, são as duas posições talvez mais emblemáticas no futebol. Um exemplo é a chegada do Luiz Carlos (goleiro) porque o Bruno oscilou em um jogo de Copa do Nordeste contra o Botafogo-PB. Mas de lá pra cá ele tem feito defesas importantes em momentos importantes. E o Luiz Carlos vai aguardar a vez dele. O camisa nove também é muito isso. O Daniel Bueno é um jogador que caso não encaixe no Náutico eu tenho certeza que ele não fica 48 horas desempregado”, destacou.
Para Roberto Fernandes o esquema de jogo utilizado na temporada não tem favorecido o atacante. O que, de certa forma, reforça a ideia de que dificilmente Daniel Bueno terá outras oportunidades na equipe. Seja na principal ou na alternativa. Contra o Flamengo, o gol da vitória foi anotado pelo prata da casa Odilávio, seu substituto em campo.
“O Daniel é um cara que fez gols, conquistou acessos, principalmente no interior de São Paulo. Mas aqui, qualquer coisa diferente que eu fale vou estar batendo de frente com uma realidade. Infelizmente ele ainda não se encontrou. Agora é preciso também, não defendê-lo, mas dividir um pouco esse bolo. Daniel Bueno é um centroavante de área e precisa muita da bola de linha de fundo, mas as características dos nossos laterais são de pouca efetividade na linha de fundo. E isso para um jogador que tem esse como principal ponto forte é complicado”, reconheceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *