direção do Náutico projeta amistoso nos Aflitos;

ADAURY VELOSO ;

NÁUTICO

Apesar da desclassificação na Série C, direção projeta amistoso nos Aflitos ainda neste ano

Segundo o presidente Edno Melo, as obras de requalificação estão em fase final, restando apenas 10% das obras para que estádio possa ser entregue;

A temporada 2018 terminou oficialmente para o Náutico. Porém, a intenção da diretoria é que o clube entre em campo pelo menos mais uma vez, mesmo após a eliminação nas quartas de final da Série C. Em uma ocasião mais do que especial. Após o empate por 1 a 1 com o Bragantino, na Arena de Pernambuco, o presidente Edno Melo reforçou a ideia de realizar um amistoso ainda este ano para marcar a volta aos Aflitos.

De acordo com o dirigente, as obras de requalificação estão em fase final e com isso o estádio está muito próximo de ser reinaugurado. “O Náutico vai começar a temporada de 2019 nos Aflitos. Esse ano falta muito pouco para terminar as obras. Cerca de 10%, no máximo. Queremos fazer um jogo festivo e devolver os Aflitos ao seu verdadeiro dono que é a torcida. Ainda esse ano teremos um jogo de entrega dos Aflitos aos torcedores”, destacou o presidente timbu, sem querer no entanto querer estipular uma data oficial.
Vale ressaltar que antes a diretoria já havia estipulado o jogo de volta para abril e posteriormente maio, prazos que não foram cumpridos. Um dos possíveis empecilhos para a realização do amistoso ainda esse ano seria a formação de um time do Náutico, já que basicamente o clube tem contratos mais longos apenas os jogadores revelados nas categorias de base. Alguns deles, titulares na Série C, como o goleiro Bruno, o volante Luiz Henrique e o atacante Robinho.
Já os demais atletas possuem contratos encerrando em setembro. Boa parte deve ser chamada para uma renovação. Porém, o cenário é complicado já que as Séries A e B seguem em atividade até novembro e dezembro, respectivamente.
Por outro lado, um amistoso nos Aflitos pode funcionar como fonte de receita para o clube, que só voltará a ter jogos oficiais em janeiro. Vale ressaltar que mesmo durante a reforma do estádio, e sem data e adversários definidos, a direção já vinha negociando vouchers para a partida de retorno ao preço de R$ 100. Sendo assim, um público de 10 mil renderia aos cofres alvirrubros uma renda de R$ 1 milhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *