Mato tirado causou buracos no gramado da Ilha do Retiro;

ADAURY VELOSO ;

SPORT

Diretoria, técnico e elenco reclamam e gramado da Ilha do Retiro passa por reestruturação

Campo do Sport está em péssimas condições de jogo e a GreenLeaf se movimenta para deixá-lo em condições de jogo em duas semanas;

Apresentando várias falhas, o gramado do Rubro-negro pernambucano não agradou a quem estava no campo durante a partida de Sport e Fluminense, pela 14ª rodada do Brasileirão. Tanto o técnico Claudinei Oliveira, quanto a diretoria e os jogadores ficaram insatisfeitos com as condições apresentadas pelo gramado da Ilha.  Para resolver da maneira mais rápida possível a situação, Paulo Antônio Azeredo, engenheiro agrônomo e dono da empresa GreenLeaf, responsável por fazer a manutenção dos gramados do Sport, embarcou hoje ao Recife para acompanhar de perto as ações de recuperação que estão sendo feitas no campo. De acordo com informações publicadas no site do clube, o prazo para dar condições completas de jogo ao gramado seria já no próximo jogo do Leão, dia 5 de agosto, contra a Chapecoense, na 17ª rodada da Série A.

A pausa de 40 dias para a Copa do Mundo foi um fator apontado como determinante para o campo do estádio apresentar falhas. O engenheiro explicou que surgiu uma ‘grama invasora’ muito forte dentro do gramado durante o período anterior à Copa e que se agravou após o término da competição, causando várias falhas no solo. “Buscamos eliminar este tipo de mato com o intuito de dar a mesma qualidade da grama original, que é a Bermuda 419. Mas surgiram outros tipos de grama e não conseguimos eliminá-las a tempo do jogo. Por isso, decidimos arrancá-las manualmente e acabou que ficaram buracos”, pontua o engenheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *