Erick volta a decidir e ganha atenção do treinador do Náutico

ADAURY VELOSO ;

Assim que o Clássico dos Clássicos começou, Erick não mudou a sua rotina. Repetiu o que vem fazendo na ponta direita do Náutico. Parte para cima dos defensores sem pena alguma e coloca ousadia em todos os lances que pode. Seu limite vai de acordo com o que o adversário permite. Quando os lances duros não param a sua velocidade, é certeza de que haverá algum algo de efeito. A última vítima foi o lateral esquerdo Caio, do Sport. O camisa 33 do Náutico fez de tudo e terminou sendo até exagerado. Não apenas nos dribles, mas também na comemoração do seu segundo gol com a camisa alvirrubra como profissional.

Após mostrar parte do seu repertório de fintas, Erick contribuiu para o lance que originou o pênalti sobre David. Pediu para bater e foi atendido. Colocou no canto oposto ao de Agenor, abriu o placar no dérbi e, após balançar as redes, pediu silêncio à torcida do Sport. Um gesto que – naturalmente – os donos da casa não gostaram, mas que foi minimizado pelo técnico Milton Cruz.
“Erick é um garoto. Tem 19 anos. Tem um potencial muito grande pela frente. Temos muito que corrigir nele e acho que isso (provocação) é normal. A torcida estava provocando ele também. Isso é normal”, afirmou.
Talvez, o episódio possa apimentar um pouco mais a partida do próximo domingo, quando o Náutico recebe o Sport novamente na Arena de Pernambuco. A diferença é que o Leão deve utilizar o time titular. Um desafio maior para o Alvirrubro e para o atacante. Mas, até agora, o camisa 33 não tem se preocupado com quem está na sua frente e tem sido o melhor jogador do Náutico no início de temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *