Exceção nos reforços do Sport, Deivid busca novo desafio;

ADAURY VELOSO ;

SPORT

Exceção nos reforços do Sport, Deivid busca novo desafio e deixa para ‘falar em campo’

Única contratação deste ano com contrato até 2019, volante quer evitar entrevistas para que torcida avalie apenas futebol durante os jogos ;

Aos 29 anos, Deivid tem no Sport apenas o segundo time da carreira. O atleta se tornou profissional no Furacão ainda em 2009 e defendeu a equipe de Curitiba até entrar no decorrer do segundo tempo no empate em 1 a 1 do Leão com o Corinthians, na Arena de Pernambuco, no último domingo. Ao todo, foram 236 jogos pelo Furacão, onde realizou a categoria de base. Agora, em um novo rubro-negro, ele também chega para construir uma mais história duradoura. Pelo menos, em relação a todos os outros reforços do clube para esta temporada. Deivid é exceção.

Ao todo, o Sport anunciou 18 reforços para este ano. Apenas o volante tem contrato até o fim do próximo ano. Dos outros 17 jogadores, o vínculo se encerra até dezembro. Dois deles, aliás, já se foram por causa do baixo desempenho. O lateral Capa e o volante Pedro Castro retornaram ao Avaí após o fim do Campeonato Pernambucano. É uma realidade que mudou no Leão este ano diante da dificuldade financeira. Agora, os jogadores vieram em sua maioria por empréstimo.
Não foi o caso Deivid. Nesse cenário e ao seu estilo de poucas palavras, o atleta espera jogar e também construir uma trajetória em outro rubro-negro. “Não é fácil você se manter no clube de grande porte por tanto tempo, mas isso é tudo pelo que fiz dentro de campo. Até estava brincando aqui que não sou muito de dar entrevista. Sou um rapaz muito quieto. A torcida vai estar ciente de que, tudo que ela pensar de mim, vai ser por aquilo que mostrar dentro de campo. Ao meu ver, falar aqui não tem tanta importância quanto o que fizer dentro de campo.”
Foi assim, falando pouco, que o primeiro volante construiu a carreira no Furacão e admite que ainda sente uma sensação incomum. “Para mim é diferente. É só minha segunda equipe profissional. Passei 12 anos no Atlético-PR. Quando escolhi vir para cá, foi em busca de um novo desafio porque tinha contrato até o fim do ano. Poderia muito bem ficar lá, mas vim para o Sport em busca de sucesso e numa maneira de projetar a minha carreira para frente.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *