goleiro Magrão sobre o seu retorno ao Sport;

ADAURY VELOSO ;

Magrão entrou na sala de entrevistas sorridente. Educado, como de praxe, cumprimentou os jornalistas. Deu “boa tarde”. Era, na verdade, “bom dia”. Força do hábito. Da vida. O tempo para o maior jogador da história do Sport parece ter uma aceleração diferente. Sempre um passo à frente, o goleiro surpreendeu aos médicos, à torcida, a todos. Imparável, aos 41 anos, brincou com prognósticos. A recuperação para uma artroscopia no joelho era estimada para entre seis e oito semanas. Magrão está de volta ao time com quatro. “Se fosse mais novo, teria voltado antes”, sorriu.

Após uma lacuna de quatro jogos fora (na pior das hipóteses, poderia ficar até dez partidas fora), o goleiro rubro-negro retorna à equipe diante do Cruzeiro, no próximo domingo, às 11h, no estádio Mineirão. Na data, completa exatamente um mês desde a cirurgia. Tempo em que o Sport trocou de técnico. Que o reserva imediato Agenor ganhou e perdeu a oportunidade que teve. Que o prata da casa Mailson nasceu para a torcida. E ganhou elogios de Magrão.
Voltando aos microfones, Magrão fez uma avaliação do período em que ficou fora e de como se sente para voltar a jogar. Comentou a participação de Agenor e Mailson, o início do trabalho do técnico Claudinei Oliveira, brincou com a própria idade e, mais uma vez, teve que responder perguntar a respeito de uma aposentadoria que, por ora, segue sem data para acontecer. Confira, ponto a ponto, o que falou o ídolo rubro-negro abaixo.

O retorno

Primeiramente, é agradecer a Deus pela volta. Disseram aí que eram dois meses e pela minha idade, se fosse mais novo, eu iria voltar mais cedo ainda. Mas como já estou com meus 40, infelizmente, estou voltando só agora. Fico feliz pelo trabalho em conjunto dos médicos, dos fisioterapeutas. Todos eles trabalharam para que eu pudesse voltar o mais rápido possível. Eu segui as ordens… Sou um cara que me cuido, sei respeitar o que colocam e fiz tudo direitinho. Acabei voltando antes do tempo e voltando normal, sem precipitação, sem dor, sem nada. Feliz em estar à disposição novamente para ajudar a equipe do Sport. Até achei que iria estar à disposição contra o Bahia. Já estava treinando, mas daí o professor (Claudinei Oliveira) me pediu para segurar um pouco. Agora vou ter a oportunidade de voltar.

Mailson

Nós sabíamos da qualidade dele. Desde a primeira vez que o professor Nelsinho (Batista) falou que estava pensando em colocá-lo, tivemos uma conversa e falei que não teria problema nenhum. Pelos treinos e pelo que eu conhecia, ele (Mailson) ia dar conta do recado e foi o que aconteceu. Ele fez bons jogos e acho vai chegar o momento dele, tudo tem seu tempo. Estou voltando a jogar de novo e a gente tem um respeito muito grande não só por ele, mas pelo Agenor, pelo Lucas também, que são grandes goleiros. Mas Mailson fez um grande jogo contra o Paraná. O melhor jogo dele nesses três. Se saiu muito bem. De goleiro, tem o Lucas também, um menino de muita qualidade que quando tiver chance vai mostrar o potencial. De goleiro o Sport está bem servido.

Agenor

Considero ele um bom goleiro. Teve a infelicidade na primeira partida lá contra o América-MG, onde assumiu a responsabilidade (pelas falhas e derrota do time). Ao meu ver, o erro maior dele foi ter falado aquelas palavras de cabeça quente. Ele não poderia ter falado aquilo que falou, mas é um bom goleiro e tem totais condições de jogar.

Momento do Sport

O momento é bom. Tem que se apegar a esse momento. A gente sabe que pela frente vai vir uma sequência de jogos difíceis e temos que redobrar a nossa atenção, a concentração. Tudo a gente tem que estar melhorando para continuar tendo essa sequência de vitórias. Clima bom é quando tem vitória. Já passamos por situações ruins, momentos difíceis e é duro trabalhar quando não se tem resultado. Quando tem vitória, as coisas fluem melhor. Esperamos continuar com essa sequência para seguir nesse momento legal.

Receio físico

Voltei totalmente diferente do que foi a minha volta da cirurgia no ombro. Quando operei o ombro voltei um pouco receoso, sim. Mas essa do joelho, não tive receio nenhum. Os fisioterapeutas mandaram segurar um pouco porque eu estava fazendo as coisas muito ‘normais’. Estavam pedindo um pouco mais de cautela. Mas desde que comecei o trabalho no campo já fiz sem preocupação, sem dor. Então, em relação a dor, a volta está sendo uma coisa muito simples para mim.

Aposentadoria

O planejamento é jogar e fazer um grande Campeonato Brasileiro. No final do ano, vou ver o que Deus vai me orientar. Se for para parar, vou parar. Se for dar sequência, vou dar. Mas minha cabeça agora está voltada para voltar e ajudar o Sport da melhor maneira. Sei que está próxima a situação (da aposentadoria) e quando chegar o momento certo, vou estar falando.

Claudinei Oliveira

Minha impressão dele foi muito boa. Não conhecia ele pessoalmente ainda e desde que ele chegou se mostrou um treinador que procura agregar todo mundo. E isso é muito importante em um treinador. São mais de 30 jogadores e quando o treinador procura dar atenção a todos, ele tem o grupo na mão. É um treinador simples, tem uma vontade grande de vencer e está procurando seu espaço. Ele tem tudo para dar certo conosco a fazer um grande campeonato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *