Homero Lacerda se reuniu com Gustavo Dubeux neste domingo, mas não definiu ingresso na diretoria de futebol do Sport

Adaury veloso;  Eleito presidente do Conselho Deliberativo do Sport, Homero Lacerda se reuniu neste domingo com o vice Executivo e futebol, Gustavo Dubeux, para tratar do seu ingresso na direção de futebol do clube. Embora não tenha havido uma definição, o próprio Homero considerou o encontro como “muito positivo”. Segundo ele, a aceitação para compor o departamento vai passar pelo acerto com uma empresa, que tem uma nova proposta para o futebol do clube. Ele não revelou qual o nome desta empresa e evitou dar mais detalhes sobre como seria o trabalho dela.

A proposta desta empresa foi apresentada a Gustavo Dubeux na reunião deste domingo, mas será, ainda, formalizada para o Sport. Ela será discutida entre a diretoria e o presidente eleito Arnaldo Barros. De acordo com Homero, em até 48 horas haverá uma definição sobre o assunto. “Tivemos uma longa reunião, que durou a tarde inteira, na qual foi apresentada uma nova proposta para o futebol do Sport. Ouvimos um especialista que eu trouxe, com experiência no exterior. O clube vai receber uma proposta por escrito. Gustavo e Arnaldo vão estudá-la e darão um retorno”, afirmou Homero.

Essa nova proposta seria algo inédito no Brasil, segundo Homero, que se resguardou em revelar mais detalhes sobre o trabalho que viria a ser desenvolvido. Ele deixou claro, porém, que só deve fazer parte da direção de futebol caso essa proposta venha a ser aceita. “Minha aceitação passa por essa proposta. É algo muito ousado, uma maneira diferente de tratar o futebol. Passa por um tratamento até científico. É coisa que não existe no Brasil, só na Europa”, disse Homero.

Embora admita que o processo, que inclui também o anúncio do novo treinador, esteja demorando, Homero argumentou que é preciso ter um pouco de paciência, para que nada saia de errado com o planejamento da próxima temporada. “Tem que partir certo, para dar tudo certo. É uma demora necessária. Na verdade, é uma cautela, porque disso depende todo o planejamento do ano. Quando se parte errado, para consertar fica durante o ano fica complicado”, afirmou o dirigente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *