Ídolo do Náutico, Muricy Ramalho comemora volta dos Aflitos:

ADAURY VELOSO ;

Ex-técnico alvirrubro estará presente em festa de reabertura do estádio, no dia 16 de dezembro, e comentou sua relação com o Alvirrubro;

Bicampeão pernambucano em 2001 e 2002, o ex-técnico Muricy Ramalho marcou para sempre seu nome na história do Náutico. Tanto que foi um dos primeiros a ser chamado pela diretoria alvirrubra para fazer parte da partida preliminar, junto com outros ex-treinadores e jogadores do clube, na festa da volta aos Aflitos, no próximo dia 16 de dezembro, antes do amistoso contra o argentino Newell’s Old Boys. Retorno para casa que o atual comentarista do Sportv aponta como fundamental para o Timbu.

Muricy afirmou que, com a volta aos Aflitos, o Náutico irá reparar um erro histórico. “Os Aflitos é o estádio do Náutico. É onde a torcida gosta de estar. Agora o clube está voltando para casa, de onde nunca deveria ter saído. Será muito importante esse retorno. Para o Náutico começar tudo de novo e atingir o seu objetivo de subir de divisão, até chegar a Série A novamente”, pontuou o treinador que praticamente confirmou sua presença na festa do dia 16 de dezembro.
“Estamos acertando os últimos detalhes. Estou vendo questão de passagem e logística. Mas claro que tem uma chance muito grande de eu estar presente. Já me mandaram algumas fotos e dá para ver que o estádio está bem mais moderno. Hoje é importante os clubes investirem em seus estádios. Estou acompanhando a reforma e os Aflitos está muito bonito”, elogiou.

Eterno alvirrubro 

Mesmo 16 anos após deixar o Náutico, o Náutico, na verdade, nunca deixou Muricy. Conselheiro vitalício do clube, o ex-treinador, sempre que vinha enfrentar o alvirrubro, nos Aflitos, no comando de outras equipes (São Paulo, Palmeiras, Fluminense e Santos), era homenageado pela torcida e diretoria. Relação de carinho que é recíproca, já que Muricy garante que sempre está acompanhando o Timbu.
Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press

“Sempre que posso acompanho o clube. No ano passado, quando o Náutico estava na Série B, eu assistia os jogos pela televisão. Claro que o Náutico tem que melhorar muito e isso já vai começar por essa volta aos Aflitos. Claro que a situação atual (segundo ano seguido na Série C) não é legal. Mas esse é um recomeço”, destacou Muricy, que possui no currículo, entre os principais títulos, quatro brasileiros (três pelo São Paulo e um pelo Fluminense), além de uma Libertadores, pelo Santos, em 2012.

Porém, as conquistas pelo alvirrubro seguem tendo um carinho especial por Muricy. Principalmente o Pernambucano de 2001, levantado no ano do centenário do Náutico, encerrando um jejum de 11 anos e de quebra impedindo o hexacampeonato do rival Sport.
“Esse título marcou muito. O Náutico estava em uma situação bem complicada, sem ganhar nada há muito tempo e com dificuldades muito grandes, em todos os sentidos. Além disso, estava enfrentando o Sport que era um time fortíssimo e que investiu muito. Mas nós conseguimos ganhar o título e logo em seguida o bicampeonato. Para a minha carreira também foi algo excelente”, recordou Muricy, que reencontrará, no jogo do dia 16, alguns desses seus ex-atletas, como os zagueiros Lima, Silvio e Turatto, os volantes Sangalleti, Wallace e Adilson, além dos atacantes Thiago Tubarão e Kuki, o homenageado da festa.
“De vez em quando encontro alguns deles, mas é bem difícil. Essa foi uma iniciativa muito boa da diretoria, convidar essas pessoas que fizeram história com a camisa do Náutico. Vai ser muito legal rever esses ex-jogadores. E a homenagem ao Kuki também é super merecida. Um dos melhores jogadores da história do Náutico, um goleador e que até hoje esta no clube. Vestiu a camisa nunca mais tirou. Todos estão de parabéns”, finalizou o alvirrubro Muricy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *