Júnior Lemos revela frustração por chegada ‘atrasada’;

ADAURY VELOSO ;

NÁUTICO

Prestes a estrear, Júnior Lemos revela frustração por chegada ‘atrasada’ ao Náutico

Meia disse que esperava poder defender um grande clube logo após o estadual ;

Regularizado nesta quinta-feira, o meia Júnior Lemos poderá fazer a sua estreia pelo Náutico na próxima segunda, no clássico contra o Santa Cruz, no Arruda. Seria o primeiro passo de uma caminhada que o jogador acredita estar começando tardiamente. Um dos destaques da campanha do vice campeonato pernambucano do Central (perdendo a final justamente para o Timbu), o armador de 24 anos revelou ter se decepcionado ao não ir para um clube grande logo após o término do Estadual. Porém, agora promete motivação dobrada para ajudar o alvirrubro em sua caminhada rumo às quartas de final.

“Me recordo que no início do ano estava com minha família e tinha traçado o projeto de fazer um grande Estadual, mesmo antes de acertar com o Central. Me propus a me dedicar muito para vestir uma grande camisa depois, mas as coisas não acontecem de acordo com nossa vontade. Confio em Deus e acredito que ele me trouxe no momento certo, um momento de mais maturidade. Confesso que fiquei frustrado por não vestir a camisa de um clube grande logo depois do Campeonato Pernambucano, mas aprendi com isso”, destacou o jogador.
Ainda com a camisa da Patativa, Júnior Lemos disputou seis jogos pela Série D, competição na qual o Central foi eliminado ainda na primeira fase. Na campanha, chegou a perder a titularidade em duas partidas. Mesmo sem atuar desde o dia 27, o meia garantiu estar pronto para estrear no clássico.
Ao todo, na temporada, o jogador entrou em campo 19 vezes e ainda não marcou nenhum gol. “Fiquei uns dias sem treinar, mas não perdi a forma física. Foi uma semana e é até bom para descansar a mente. Vinha de uma sequência estressante. Mas trabalhei a última semana toda, treinei duas vezes com bola e deu para conhecer bem o grupo”, pontuou.
“Gosto muito de jogar centralizado, mas já joguei pelas beiradas do campo. Gosto de estar livre, de me movimentar mais, de ter liberdade para ir na beirada e pisar na área. Dentro dos treinamentos o treinador vai ver o que tenho de melhor para ele”, encerrou o meia. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *