Líder Danny Morais desponta como fundamental ;

ADAURY VELOSO ;

SANTA CRUZ

Líder dentro e fora de campo, Danny Morais desponta como fundamental no Santa Cruz

Zagueiro recebeu rasgados elogios do técnico Júnior Rocha por postura de liderança e por, em pouco tempo, ter se tornado voz do treinador em campo;

Aos 32 anos, o zagueiro Danny Morais não chega a ser o atleta mais experiente do elenco do Santa Cruz. O lateral-direito Vítor e o meio-campista Daniel Sobralense, por exemplo, têm 35 anos. Nenhum dos mais velhos, nem muito menos dos mais novos, porém, chega perto de ter uma característica até então em falta no elenco. Foram apenas dois jogos desde o retorno ao Arruda. O suficiente para Danny apresentar ao grupo uma liderança natural. Dentro e fora de campo. O bastante também para que o técnico Júnior Rocha rasgasse elogios a uma peça que, desde já, é primordial para o sucesso tricolor no restante da temporada 2018.

Após um ano atuando no futebol sul-coreano, Danny Morais retorno para o Santa Cruz sem sequer parecer ter saído um dia. Com grande identificação com o Tricolor, clube em que conquistou um acesso à Série A e uma Copa do Nordeste, em 2015, o defensor tem assumido o papel de líder que tanto esperava ter no grupo Júnior Rocha. “É uma referência para o Santa Cruz. Não só para mim, mas é para o clube também, para o torcedor, a diretoria… É um atleta vencedor, que já deixou a marca aqui e retornou mesmo tendo proposta outros clubes. Ele quis vir”, ressaltou o técnico.
Danny Morais já participou de 105 jogos oficiais pelo Santa Cruz, sendo 103 iniciando como titular. Fora do Campeonato Pernambucano por ter chegado após o período de inscrições, enfrentou o CRB e o Treze pela Copa do Nordeste, em dois empates fora de casa. Se ainda não solucionou por completo a defesa, de pronto trouxe consigo uma maior segurança defensiva ao elenco. Sobretudo por algo que andava em falta: a comunicação.
“Danny é um atleta de liderança, que fala, conversa com os outros atletas. Faz bem a linha defensiva. Nessa evolução no dia a dia, no primeiro dia já me assustei. Genílson não fala, mesmo sendo líder não tem característica de comando. O mesmo com o Augusto (Silva) e o Renato (Silveira). Aí chega um atleta que fala, conversa, instrui, sabe jogar muito na linha alta… Aí não tem jeito, fica muito mais fácil o atleta se escalar, um atleta que é diferente em todos os aspectos e uma liderança positiva. Me ajuda muito ter um atleta assim”, ressaltou Júnior Rocha.

Fora de campo

Desde a primeira passagem, quando o Santa Cruz sofreu com uma regularidade de salários atrasados, Danny Morais já despontara, ao lado do atacante Grafite, como um dos porta-vozes do elenco. Com os salários atualmente em dia, o zagueiro tem elogiado a postura da atual diretoria. Além disso, consciente, comemorou a conquista da premiação de R$ 450 mil que o clube recebeu com a classificação às quartas de final da Copa do Nordeste.
“A classificação (com uma rodada de antecedência) dá tranquilidade para a gente e para o clube. Até pela parte financeira, já que essa bonificação pela classificação vai ajudar o clube. A gente também tem que pensar nisso. Não se pode desperdiçar essa chance”, destacou o defensor após o empate contra o Treze, na última quinta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *