MAIOR RECEITA; Mudança de cotas da Série B beneficia Santa Cruz e Náutico

ADAURY VELOSO;

Nessa terça-feira (21) foram divulgadas as novas cotas de TV do Campeonato Brasileiro da Série B. O modelo de distribuição dos valores destinados à competição sofreu uma alteração após o congresso técnico realizado na entidade. Com uma verba orçada em R$100 milhões, os não cotistas, ou seja, aqueles que não possuem contrato fixo com a emissora detentora dos direitos de transmissão, recebem 60% do valor de forma igualitária e os outros 40% de acordo com o posicionamento na tabela do último brasileiro. Inter e Goiás não se aplicam a essa regra já que possuem contrato com a televisão e receberão valores muito acima dos demais.

De acordo com o repórter Wellington Campos, da Rádio Itatiaia, os pernambucanos receberam aumento nas suas cotas de TV nesse novo acordo. Antes com um modelo igualitário de R$5,2 milhões para todos os clubes (exceto os cotistas), o novo formato privilegia principalmente os que foram rebaixados da Série A de 2016 e aqueles com melhor colocação na segunda divisão do mesmo ano. Com isso, o Santa Cruz receberá R$ 1 milhão a mais de receita, tornando-se a segunda maior da competição entre os não cotistas com R$ 6,2 milhões, enquanto o Náutico, 5º colocado da última Série B, recebe R$ 600 mil a mais, ficando com uma receita de R$5,8 milhões.

O novo acordo foi pleiteado principalmente pelos clubes rebaixados da última Série A, que sofreriam uma queda brusca de receita, já que na primeira divisão recebiam um valor de cerca de R$ 23 milhões. Entre os não cotistas, a maior receita será a do Figueirense, com R$6,4 milhões, enquanto o também rebaixado América-MG receberá R$6 milhões.

Para os recém promovidos da Série C, no entanto, a mudança não foi positiva, já que terão o decréscimo de R$ 1,1 milhão no valor que lhes será repassado. Boa Esporte, Guarani, ABC e Juventude receberão R$ 4,1 milhões. Enquanto isso, bastante acima desse grupo, o Internacional terá uma cota de R$ 60 milhões e o Goiás, de R$ 35 milhões. Juntos somam quase o valor total que será distribuído entre as outras 18 equipes.

Confira como ficaram as cotas da Série B:

Figueirense – R$ 6,4 milhões

Santa Cruz – R$ 6,2 milhões

América-MG – R$ 6,0 milhões

Náutico – R$ 5,8 milhões

Londrina – R$ 5,6 milhões

CRB – R$ 5,4 milhões

Ceará, Vila Nova, Luverdense, Criciúma, Brasil de Pelotas, Paysandu, Paraná e Oeste – R$ 5,2 milhões

Boa Esporte, Guarani, ABC e Juventude – R$ 4,1 milhões

LeiaJá também

–> Como estão os primeiros adversários de Náutico e Santa

–> Futebol Feminino: Sport e Vitória-PE conhecem adversários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *