Márcio Goiano afirma conhecer o Bragantino ;

ADAURY VELOSO ;

NÁUTICO

Márcio Goiano afirma conhecer o Bragantino e espera Náutico equilibrado no mata-mata

Técnico detalhou questões do adversário das quais o Timbu deve estar alerta;

O Bragantino, adversário do Náutico nas quartas de final da Série C, conta com um técnico que tem história no clube do interior paulista. Marcelo Veiga, de 53 anos, está na sua sexta passagem pelo Massa Bruta. Desta vez, ele tem a missão de subir a equipe para a Série B. Entretanto, do lado do Náutico, o treinador Márcio Goiano afirma conhecer bem o comandante adversário e saber a forma que o time joga, em um estilo baseado principalmente na bola aérea e nos contra-ataques.

“Eu vou muito pela leitura do próprio treinador. O Marcelo (Veiga) tem essa característica (de ser mais defensivo), jogou muitos anos com três zagueiros e hoje joga no 4-2-3-1. Vimos alguns jogos e aí você observa essas situações de jogo. É uma equipe que vai nos dar essa bola para que a gente possa jogar e eles vão nos pressionar (para forçar o Náutico ao erro). Eles têm dois jogadores rápidos na frente, que são o Vitinho e o Marquinhos. Têm essa transição entre o (Rafael) Chorão e Matheus, que são dois centroavantes que fazem essa combinação de flutuar como meias. Tem o Magno, volante, que busca essa diagonal nas costas do lateral direito. São situações que exercitamos e é importante saber. Todo o cenário a gente procurou fazer e mostrar para os atletas”, disse Márcio Goiano.
O comandante alvirrubro vem “batendo na tecla” do equilíbrio para o Náutico nesta partida, algo já demonstrado pela equipe durante a fase de grupos da Série C. Sob o comando de Goiano, o Náutico apenas não marcou gol em um jogo: a derrota para o ABC em Natal, por 2 a 0. Única sob o comando do treinador. Daí em diante, emendou uma sequência de 10 jogos de invencibilidade. Balançou as redes adversárias 20 vezes e sofreu apenas 10 tentos. Então, mantendo esse desempenho, o Náutico se credencia fortemente para conquistar o acesso.
“É importante você ter a leitura do adversário, a característica não muda muito, tem jogadores que são sim imprevisíveis, mas o Bragantino é uma equipe que vejo como previsível. Então a gente tem que fazer esse encaixe de marcação, neutralizar bem o adversário. A gente tem que ter essa posse de bola conscience para não dar oportunidade ao adversário, mas o mais importante é ter esse equilíbrio”, encerrou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *