Márcio Goiano valoriza empate;

ADAURY VELOSO ;

NÁUTICO

Márcio Goiano valoriza empate e diz que expulsão foi determinante para tropeço

Técnico alvirrubro avaliou como positivo saldo de quatro pontos nos dois jogos que o Náutico fez fora de casa, contra Confiança e Salgueiro;

Apesar de ter interrompido uma sequência de cinco vitórias, o empate com o Salgueiro por 1 a 1 no Cornélio de Barros, cedido aos 40 minutos do segundo tempo, foi bem recebido pelo técnico do Náutico, Márcio Goiano. Ressaltando que o momento do time ainda é bom (invicto há seis rodadas), o treinador acredita que a expulsão do meia Wallace Pernambucano, aos 25 minutos do segundo tempo (apenas sete após entrar em campo) foi determinante para o resultado,

“Sabíamos da dificuldade que iríamos encontrar aqui. O gramado prende muito a bola e é irregular. Mas mesmo assim controlamos o jogo no primeiro tempo, fizemos o gol e administramos com certa tranquilidade. No segundo a situação era de certa forma a mesma. Mas a expulsão dificultou bastante as coisas para nós. Com um jogador a menos tivemos que mudar a estratégia e adotar uma postura mais defensiva, enquanto o adversário ficou mais ofensivo”, pontuou Márcio Goiano.
“Mas se formos somar tudo o que fizemos nesses dois jogos fora com certeza o saldo é positivo. Disputamos seis pontos e somamos quatro (vitória sobre o Confiança e empate com o Salgueiro). Estamos com 23 pontos e abrimos uma margem para o quinto colocado (cinco pontos). Se formos colocar tudo na balança o saldo é para se valorizar. Agora todo mundo tem dois jogos em casa e dois fora e esperamos confirmar a classificação”, completou.
Ainda sobre a expulsão de Wallace Pernambucano, o treinador evitou fazer qualquer tipo de critica ao jogador. Por outro lado, questionou o árbitro gaúcho Roger Goulart no lance. “Pelo que conversei com o atleta ele alega que a jogada foi normal. O Ortigoza apanhou no jogo, o Robinho apanhou, o Wallace apanhou, mas quando o atacante bate sobra pra ele. Vamos sentar e ver o que acontece. Foi uma disputa de bola que o árbitro não deu falta”, afirmou.
“Temos que valorizar o ponto pela dificuldade de se jogar aqui. O gramado não é tão regular como estamos habituados e isso trouxe uma dificuldade. O próprio adversário que está acostumado a jogar aqui também errou muitos passes por conta do gramado. Lutamos, brigamos e no futebol se oscila. Temos que saber tirar proveito dessas e administrar essas situações”, concluiu Márcio Goiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *