Misael mira recomeço no Santa Cruz;

ADAURY VELOSO – Anunciado no dia 3 de maio, o primeiro reforço do Santa Cruz para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C, Misael, estreou no empate contra o Botafogo-PB antes mesmo de ser apresentado pelo clube. Apenas na última terça-feira, o jogador, enfim, concedeu entrevista coletiva no Arruda. Revelando um drama familiar no último ano, o atleta espera recomeçar a carreira na Cobra Coral e fala sobre a um novo posicionamento na carreira.

“Joguei praticamente minha carreira inteira como jogador de lado. Neste ano, comecei (também) a ser meia. Tem sido um recomeço. Passei por momentos difíceis no ano passado, com dificuldades e injustiças. Não cabe falar aqui. Tive perdas complicadas, como a da minha mãe, em 2018. É muito difícil. Estou em um recomeço. No XV de Piracicaba, fui bem em uma posição diferente e chego aqui preparado para atuar tanto aberto como no meio”, explicou.

A posição, inclusive, tem sido o ‘calo’ do clube na temporada, que anunciou recentemente dois reforços para a função: Everton e Celsinho.

Misael disputou o Campeonato Paulista da Série A2 pelo Alvinegro de Piracicaba, onde chegou às semifinais. Na equipe, disputou 16 partidas e marcou um gol. Tendo quase conquistado um acesso em 2019, o jogador espera efetivar esse desejo com o Tricolor do Arruda.

“Estou muito feliz em vestir a camisa do Santa Cruz. Para mim é uma novidade na carreira. Joguei uma Série A2 do Paulistão muito disputada e fiquei com esse gostinho. Por pouco eu não consegui mais um acesso. Cheguei com uma perspectiva muito boa e pude encarar um jogo difícil”, disse, demonstrando humildade. “Sei das minhas limitações, vou procurar melhorar a cada dia para aproveitar essa oportunidade”, concluiu.
O meia-atacante conquistou acesso da Série B para a Série A com o Ceará, em 2010; da Série B para a A com o Sport, em 2011; da Série C para a Série B com a Luverdense, em 2013; e da Série B para a Série A com o Bahia, em 2016.

Mas, como o próprio jogador assumiu, 2018 foi difícil. O jogador esteve envolvido em dois rebaixamentos no último ano. Primeiro, com o Joinville, da Série C para a Série D. Depois, com o Sampaio Corrêa, da Série B para a Série C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *