Náutico recebe o Central com o objetivo de voltar à liderança

Após duas semanas sem jogar, Náutico recebe o Central com o objetivo de voltar à liderança;

A meta timbu é terminar o hexagonal no primeiro lugar e precisa apenas de quatro pontos

 

O Náutico não entra em campo desde o dia 20 de março, quando empatou em 1 a 1 com o Santa Cruz, no Arruda. Precisamente 15 dias sem um jogo oficial. Situação à qual os alvirrubros se habituaram neste primeiro quadrimestre do ano. Devido à ausência na Copa do Nordeste, o Timbu teve outros momentos de pausa antes. Período que o treinador Gilmar Dal Pozzo aproveitou para trabalhar algo que tanto preza: os aspectos táticos do jogo. E nas duas semanas que antecederam o confronto das 16h de hoje, frente ao Central, na Arena Pernambuco, não foi diferente. Em que pese o Náutico já esteja garantido na semifinal e venha apresentando um bom futebol, sempre há algo mais a se alcançar. E no ponto de vista do comandante alvirrubro, além de alternativas táticas para a reta final e decisiva do Campeonato Pernambucano, ainda há uma liderança a ser conquistada.
Logo no começo do ano, na pré-temporada, Dal Pozzo procurou deixar claro que, embora o título Estadual fosse o objetivo final do trabalho neste quadrimestre, seria necessário trabalhar por etapas. Antes de qualquer coisa era preciso assegurar presença na semifinal. Objetivo que foi alcançado com três rodadas de antecedência. Que, de imediato, foi sucedido por uma nova meta: terminar o hexagonal em primeiro lugar. Ambição revelada, por exemplo, pelo experiente Fabiano Eller, que prometeu se empenhar por isso e cobrar todo o elenco também. Cobrança desnecessária, já que o próprio treinador também estabeleceu a importância de terminar no topo da competição: pela autoestima e confiança para as decisões que se avizinham.
Intento do qual o Náutico pode ficar mais próximo neste domingo. Para isso, vai ter que vencer o lanterna da competição, Central. Um triunfo sobre a Patativa, recoloca o Timbu na liderança do hexagonal às vésperas do confronto decisivo com o Salgueiro, no domingo da semana que vem, no Sertão. Os três pontos contra a equipe caruaruense representariam o trunfo do alvirrubro jogar contra o Carcará pelo empate para terminar na almejada primeira colocação e, assim, ter o direito de poder decidir em casa na semifinal e, se avançar, na grande final do Estadual.
“Nós temos essa meta de conquistar o primeiro lugar. Independente de quem a gente for pegar na próxima fase, a gente quer ser primeiro”, reafirmou Dal Pozzo, em sua última entrevista. “É importante para a nossa autoestima”, reforçou, para em seguida reiterar a importância de conquistar os três pontos contra o Central, que deixariam o Timbu a apenas um ponto da liderança. “Vão nos dar mais tranquilidade. E ficarei ainda mais feliz se a equipe produzir”, complementou, recordando o empate contra o Santa Cruz que, embora o Náutico não tenha vencido, o treinador saiu satisfeito com a boa atuação de sua equipe.
E para alcançar sua sexta vitória no hexagonal e dar um passo fundamental para terminar em primeiro lugar, Dal Pozzo trabalhou bastante ao longo das últimas duas semanas. E dentre as as alternativas praticadas nos treinamentos, o treinador alvirrubro pode promover a estreia de Rafael Coelho no time titular. O atacante foi confirmado pelo técnico e é uma opção para deixar o time com mais vigor ofensivo para abater a combalida Patativa na Arena Pernambuco. No centro de ataque, Daniel Morais reconquista a titularidade que havia perdido para Thiago Santana.

 Adversário
Difícil formar um time
A situação do Central não podia ser pior. Dona de uma campanha decepcionante no hexagonal do título, a equipe caruaruense vem ao Recife com um elenco esfacelado. Entre atletas dispensados, suspensos, lesionados e os que trocaram de clube, a Patativa chega à Arena Pernambuco com apenas 14 jogadores disponíveis. Até o astro Araújo fica de fora. Depois de faltar os treinos ao longo da semana, o atacante também foi cortado. Ou seja, o técnico Flávio Barros só vai poder contar com três jogadores no banco de reservas. Tudo isso para tentar evitar a pior campanha da história do Pernambucano neste atual formato. Feito negativo que pertence a outro clube da capital do Agreste – Porto em 2014, mas que pode ser batido caso o Central não some pontos nas duas rodadas finais. Com apenas dois empates em oito jogos – dois pontos em 24 disputados, a Patativa tem aproveitamento pífio de apenas 8,3%.

Ficha
Náutico
Júlio César; Rafael Pereira, Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Henrique; Rodrigo Souza, Eduardinho, Rafael Celho (Gil Mineiro), Rony e Renan Oliveira; Daniel Morais. Técnico: Gilmar Dal Pozzo.
Central
Juninho; Luiz Mateus, Jonatas, Márcio PB e Vinicius Santos; Moisés, Gustavo Henrique, Wallason e Giso; Índio (Jeffinho) e Lourival. Técnico: Flávio Barros.
Local: Arena Pernambuco (São Lourenço da Mata-PE). Horário: 16h. Árbitro: Deborah Cecília Cruz Correia.Assistentes: Elan Vieira de Souza e Albino de Andrade Albert Junior. Ingressos: Setor Leste inferior R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia); Setor Sul inferior R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia); torcida visitante – Norte superior R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia).
CfEy7ASW4AACiDW

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *