Náutico sofre dois gols no finzinho e perde do Campinense no Amigão:

Adaury veloso;

o Náutico foi eliminado de forma precoce na Copa do Nordeste, na fase de grupos. Em ambos os casos, de forma frustrante. Em 2017, na terceira participação nesta volta do regional, o alvirrubro largou muito bem, goleando o Uniclinic. Um adversário frágil, com a ressalva feita já naquele momento. Mas, ainda assim, esperava-se um desempenho melhor nos jogos seguintes, contra Santa Cruz e Campinense, finalistas da última edição. Atuou como visitante nas duas partidas, quase sem acossar o adversário.

Em 180 minutos, um futebol burocrático, distante da intensidade necessária para a vitória. Após as derrotas no clássico e pelo Estadual, esta contra o Salgueiro, o timbu perdeu a 3ª partida consecutiva na temporada, com gols aos 43 e 49 do segundo tempo. Em Campina Grande, o time até teve posse de bola, como queria Dado Cavalcanti, mas sem verticalizar o jogo. Marco Antônio e Maylson pouco produziram na criação. Lá atrás, Tiago Cardoso, após uma série de falhas, fazia boa atuação, com a raposa paraibana insistindo nos arremates de fora da área.

Se vencer estava difícil, o empate serviria (considerando a volta na arena), mas a expulsão de Rodrigo Souza, aos 35 da etapa final, expôs o time. E o Campinense abriu o placar bem ali, na meia lua. Renatinho (ex-Santa) mandou de longe e acertou o ângulo. O alvirrubro ainda ficou a um triz do empate, numa cabeçada de Alison, mas o atual vice-campeão regional definiu num contragolpe, com Léo Ceará, 2 x 0. O resultado deixou um problemão com Dado, já pressionado pelos resultados e pela queda de produção do time. Se no Pernambucano a classificação não sofre ameaça, na Lampions o time terá que se reinventar para somar ao menos sete pontos, uma margem sem segurança, diga-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *