Nielson Nogueira apita Clássico das Multidões;

ADAURY VELOSO ;

Sob protestos do Sport e elogios do Santa Cruz, Nielson Nogueira apita Clássico das Multidões

De acordo com presidente da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho, escolha se deu mediante Audiência Pública se deu em razão do ranking ;

O Clássico das Multidões que decidirá um dos quatro semifinalistas do Campeonato Pernambucano já tem arbitragem definida. A missão de conduzir o duelo entre Sport e Santa Cruz ficará a cargo de Nielson Nogueira Dias, que será auxiliado por Clóvis Amaral e Ricardo Chianca. A diretoria rubro-negra, que ansiava por um árbitro de fora do quadro local, protestou incisivamente pela escolha de Nielson, que teve o nome indicado por Audiência Pública, na tarde desta segunda-feira, sem passar por um sorteio.

Sob divergência entre rubro-negros e tricolores, primeiramente, a Comissão Estadual de Arbitragem (Ceaf) realizou um sorteio para definir se o árbitro da partida seria do quadro pernambucano ou nacional. A sorte favoreceu ao Santa Cruz. Com esse sorteio realizado, coube à Ceaf escolher como procederia a partir de então. Assim, mediante Audiência Pública, na tarde desta segunda-feira, ficou definido o nome de Nielson, sem um sorteio – o que irritou os rubro-negros.
“Nosso critério foi por ranking. O nosso árbitro mais bem colocado é o (Péricles) Bassols. Mas ele já apitou o clássico da semana passada. Então, fomos para o seguinte, que era Nielson. Não estou entendendo por que o Sport está reclamando se foi tudo feito na presença do representante do clube, dentro da legalidade. Se o clube disser que o árbitro é desonesto, eu tiro ele do jogo. Mas se o árbitro presta ou não, essa decisão cabe à nossa comissão”, afirmou o presidente da FPF, Evandro Carvalho.
De acordo com o representante do Sport na Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Emerson Santiago, o nome de Nielson Nogueira Dias foi o único que o clube externou à FPF, quando se definiu que a arbitragem seria local, o desejo de não ter no jogo das 21h45 da próxima quarta-feira. “Para a nossa surpresa ficou decidido de forma arbitrária por Nielson, sem fazer sorteio entre dois nomes. Ele era o único que a gente não queria e foi justamente o escolhido. Soa de forma estranha essa forma arbitrária com que a Federação atuou”, afirmou.
Vale ressaltar que o fato de não ter feito o sorteio para definir Nielson para o clássico não é ilegal. A FPF poderia, sim, ter realizado um sorteio entre dois, três ou quantos nomes quisesse, porém, a opções pela Audiência Pública também é legal. “O que eu questiono é por que para o jogo da décima rodada houve o sorteio e o de agora, que é mais importante, não houve? Isso fere a credibilidade do processo. O Sport está atento”, lamentou Santiago.

“Extraordinário”

Procurado pela reportagem do Superesportes, o vice-presidente do Santa Cruz, Tonico Araújo, elogiou a escolha da FPF. “(Nielson é) extraordinário. Confio demais. É sério e competente”, disse. “Seria um desrespeito aos nossos árbitros (ter alguém de fora), apesar de o Santa ter as suas queixas da arbitragem também. Mas Nielson é tranquilo, sério… Ele poderá cometer erros, mas é um excelente árbitro. Um dos melhores das da nossa Federação”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *