No segundo ano de Náutico, Rodrigo Souza persegue entrosamento

Adaury veloso;

Na sua segunda temporada no Náutico, o volante Rodrigo Souza vem sentindo a diferença com o que mudou em 2017. Foram várias saídas e chegadas no Alvirrubro, situação que faz com que o entrosamento demore mais um pouco para ser obtido. Algo que, no entanto, não preocupa o volante neste momento.
“É normal de toda pré-temporada. A gente sente um pouco porque tivemos muitas mudanças. Acho que 80% do grupo foi trocado e também tivemos a mudança de treinador. Dado é um treinador bem exigente também e está sendo muito bom trabalhar com ele”.
Uma das exigências de Dado tem sido a comunicação da equipe. Em uma atividade que ele realiza quase que diariamente, o treinador sempre pede a movimentação dos atletas e que os companheiros que estiverem sem a bola se apresentem para recebê-la. Por isso pede tanto que as palavras também estejam no contexto dos treinos para que sejam repetidas nos jogos.
“A todo o momento ele pede comunicação. Tanto com a bola como sem a bola. Ele quer que o companheiro que está do lado sempre dê a opção. Estamos sendo bem cobrados por isso. Os jogadores são novos, mas acho que iremos nos entender bem”, contou.
Além de ter que se comunicar mais com os companheiros, o volante Rodrigo Souza está sentindo a diferença da mudança de posição. Ele não deixou de ser o segundo volante da equipe, mas tem atuado de uma forma que lhe agrada mais.
“Não estou jogando tanto de costas como no ano passado. Está sendo bom. É uma função um pouco diferente e ele (Dado) vem pedindo que faça essa função com essa marcação por zona. Espero que dê certo no campeonato. Prefiro jogar mais por dentro e prefiro ficar de frente para o jogo”, explicou. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *