No Sport Luxemburgo insiste em Wesley que não rende ;

ADAURY VELOSO ;

Com o jogador em campo, time rubro-negro não conseguiu fazer gols ;

A cada partida que entra em campo, Wesley lida ainda mais com as contestações da torcida do Sport. Como volante, pouco marca. Como meia ou mesmo ponta, pouco cria. Contratação bancada por Vanderlei Luxemburgo, o atleta pouco tem ajudado o Leão a sair de perto da zona de rebaixamento da Série A, competição em que não vence há nove rodadas. A insistência do treinador com ele na equipe tem incomodado ainda mais os torcedores. Tamanha a insatisfação, que o nome de Wesley figurou nas palavras-chaves mais comentadas do Twitter após a derrota por 1 a 0 para o São Paulo, no Morumbi.

Desde quando foi contratado pelo Sport, no fim de agosto, Wesley não ficou de fora de nenhuma partida da Série A. Foram cinco no total, todas como titular. Só não atuou nos dois duelos da Copa Sul-Americana, contra a Ponte Preta, porque já havia sido inscrito na competição continental pelo São Paulo. Enquanto esteve em campo no Brasileirão pelo Rubro-negro, o time não conseguiu balançar as redes adversárias uma vez sequer. Pelo acaso, mas também porque muitas vezes o meio-campo não funcionou com a presença dele.
No último domingo, diante do São Paulo, Wesley voltou a ter um rendimento baixo. Mas continuou na equipe até o apito final. O jogador foi bastante vaiado pela torcida do Tricolor Paulista, no Morumbi, onde também não vinha rendendo até ser dispensado, antes de ser contratado pelo Sport. Faz algum tempo, inclusive, que o meio-campista não brilha como se imaginou em seu começo meteórico no Santos.

O começo da queda de Wesley

Wesley trabalhou no Santos com Luxemburgo, em 2007. Na Vila Belmiro, viveu os tempos áureos de sua carreira, chegando à seleção brasileira, em 2010. Quando deixou o Peixe, foi jogar no Werder Bremen, da Alemanha. Ficou no clube do norte alemão entre 2010 e 2012, mas perdeu espaço na sua segunda temporada na Europa e voltou ao Brasil para atuar no Palmeiras por cifras milionárias. No Palestra Itália, saiu pela porta de trás.
No Verdão, Wesley conviveu com uma grave lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito e caiu para a Série B, ainda em 2012. Em 2013, ajudou a subir a equipe à elite. No ano seguinte, criou fortes laços com a torcida até cair de produção e ser “encostado”, enquanto o São Paulo mantinha interesse nele.

Na temporada 2015, Wesley enfim foi anunciado pelo Tricolor. Iniciou bem, no entanto, novamente viu a sua produção despencar. Não repetiu as esperadas atuações que teve no Santos e passou a atuar até como lateral-direito. Entrou em rota de colisão com a torcida, sendo até agredido por uma facção organizada que fez protesto no CT do clube no ano passado.

Antes de ser contratado pelo Sport em 2017, o jogador fez sete partidas pelo Sâo Paulo, mas esteve longe de figurar no planos do treinador Dorival Júnior. Antes do reencontro de Wesley com o Morumbi, o treinador Vanderlei Luxemburgo havia dito que esperava que a tendência era que ele evoluísse no Sport.

Os jogos sem gols com Wesley em campo

São Paulo 1 x 0 Sport (Morumbi)
Sport 1 x 1 Vasco (Ilha do Retiro) -quando André fez o gol do Sport, Wesley já havia sido substituído
Flamengo 2 x 0 Sport (Ilha do Urubu)
Sport 0 x 1 Avaí (Ilha do Retiro)
Grêmio 5 x 0 Sport (Arena do Gremio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *