O caso de Thomás abre espaço para Barbio brilhar no Arruda

ADAURY VELOSO ; Parecia até que tinha sido combinado. Aos 20 minutos do segundo tempo da partida entre Criciúma e Santa Cruz, na estreia das equipes na Série B, o meia Thomás pediu substituição. Como justificativa, alegou cansaço. O atacante William Barbio foi acionado e acabou sendo o responsável pelo gol da vitória coral, por 2×1. Na disputa pelo terceiro lugar do Estadual, terça-feira, os papeis se inverteram na escalação da equipe. Entre os 11 que encararam o Náutico, Barbio foi o destaque coral. Já Thomás, quando entrou em campo, foi vaiado pela torcida. Prestes a perder um dos principais atletas deste primeiro semestre, o Tricolor pode conseguir resolver este problema com o material que já tem em casa.

Todo o problema entre Thomás e a torcida do Santa Cruz se iniciou com a possibilidade real de o atleta trocar o clube pelo rival Sport. Com contrato no Tricolor até o dia 30 de maio, as portas ficaram abertas para a investida rubro-negra. Segundo informações de bastidores, o Leão ofereceu um salário quatro vezes maior do que ele ganha no Arruda. Com este cenário, o episódio do cansaço, protagonizado em Criciúma, deixou o torcedor incrédulo com relação ao seu comprometimento com o Santa. O primeiro sintoma de insatisfação apareceu através das mídias sociais. No Arruda, vaias direcionadas.

Apesar do clima nada amistoso entre Thomás e a torcida do Santa Cruz, a tendência é que ele siga sendo escalado por Eutrópio sempre que necessário. “Se ele diz que quer participar, vou usar porque os adversários não gostam de tê-lo do outro lado”, disse o comandante coral. “Enquanto Thomás estiver aqui, sempre vou conversar com ele. Ele estará sempre à minha disposição e vai dar o máximo. Entrou contra o Náutico e nos ajudou. A reação da torcida é natural porque a torcida gosta dele, nos ajudou muito. Compreendo porque existe paixão”, completou o treinador.

O início de ano de William Barbio foi na condição de titular. Mas depois da chegada de alguns reforços, o atleta amargou o banco de reservas. Nos últimos jogos, no entanto, o atleta passou a se destacar. Fatos comprovados pelas atuações contra Criciúma e Náutico. Sua evolução também tem sido observada por Eutrópio, que garantiu confiança no atleta. “Alguns jogadores, às vezes, demoram a se adaptar. Ele é um jogador exemplar como todos os outros. Treina sempre 100% e é premiado por isso. Temos que dar tempo ao tempo para que os jogadores possam adquirir a melhor condição”, falou o treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *