omo Náutico e Santa Cruz utilizaram jogadores da base ;

ADAURY VELOSO ;

FUTEBOL PERNAMBUCANO

Como Náutico e Santa Cruz utilizaram jogadores da base na temporada de 2018

Superesportes faz levantamento e constata que Tricolor teve ano tímido no quesito enquanto Alvirrubro deu destaque a jogadores neste ano;

As temporadas de Náutico e Santa Cruz não terminaram da maneira que os clubes esperavam, com as eliminações nas quartas de final da Série C. Porém, a trajetória e a forma como o ano acabou para os dois, foi diferente. O Timbu conquistou o Campeonato Pernambucano e soube aproveitar o ano de dificuldades para utilizar atletas da base. Usou bem e chamou a atenção de outros clubes para futuras vendas desses atletas. Já o Tricolor não conseguiu utilizar os garotos de melhor forma e saiu com o saldo de mais um ano em que os pratas da casa foram pouco utilizados.

Ao longo do ano, entre as quatro competições disputadas pelos rivais (Campeonato Pernambucano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série C), o Náutico utilizou 15 jogadores diferentes oriundos de suas divisões de base. Revelou nomes que terminaram a temporada como titulares da equipe e emprestou outros para ganhar maior vitrine. Nomes como o goleiro Bruno, o volante Luiz Henrique e o atacante Robinho, terminaram a Série C entre os 11 iniciais e com bastante moral. Os dois últimos, inclusive, foram emprestados nesta reta final de temporada para Bahia e Goiás, respectivamente, já com preço de compra de 60% dos seus direitos, caso os clubes queiram exercer esta opção.

O Timbu traçou esta estratégia como maneira de padronizar a venda de seus jovens valores e também valorizar o trabalho realizado na base do clube. E vai além disso. O Alvirrubro visa se recolocar no cenário nacional como um clube formador de atletas. “Faz muito tempo que no Náutico ou um jogador sai de graça ou por um valor muito baixo. Geralmente vinha sendo muito fácil tirar um atleta nosso. E quando a gente viu que os meninos tinham valor, acordamos que ou eles só saem em uma negociação vantajosa para o Náutico ou eles não saem. Mesmo que a gente esteja precisando de dinheiro”, contou o vice-presidente de futebol do Timbu, Diógenes Braga.

O Santa Cruz parecia que também usaria um número maior de jogadores da base no seu ano. Começou o estadual com um elenco mais enxuto e com jovens valores compondo o elenco. Entretanto, pouco a pouco eles foram perdendo espaço e sendo preteridos. Ao todo, somente sete jogadores formados no clube foram utilizados. Dos que tiveram maior sequência, estão o meia Jeremias e o zagueiro Eduardo Britto. O primeiro chegou a ter uma maior sequência de jogos na reta final do Campeonato Pernambucano e início da Série C, seja como titular ou entrando no decorrer dos jogos. Porém, perdeu espaço e pouco jogou na reta final da Terceirona. O segundo fez a maioria das partidas entrando no segundo tempo das partidas da Série C, para ajudar a segurar o resultado.

Para a próxima temporada, a expectativa coral é utilizar mais atletas. Para isso, a equipe sub-23 da equipe foi reativada para dar maior experiência aos pratas da casa em outras competições, como foi no Campeonato Brasileiro de Aspirantes. “Essa equipe de transição que foi criada no Santa, o sub-23, foi montada visando isso para 2019. Independente do acesso ou não do profissional, já era um projeto da diretoria do profissional, e da diretoria da base, de utilizar esses garotos no estadual de 2019. Por isso, a partir desse trabalho, que está sendo desenvolvido, já temos 15 jogadores predefinidos para a pré temporada 2019, oriundos dessa equipe de transição”, contou o técnico do sub-23 e sub-20 do Santa, Rômulo Oliveira.

Confira o levantamento feito pelo Superesportes dos atletas utilizados pelos dois clubes durante a temporada e quantos jogos cada um fez.
Náutico
Bruno (goleiro) – 40 jogos
Jefferson (goleiro) – seis jogos
Rafael Ribeiro (defensor) – 13 jogos
Richard Matias (defensor) – dois jogos
Samuel (defensor) – três jogos
Filipinho (defensor) – um jogo
Kevyn (defensor) – 20 jogos
Willian Gaúcho (meio-campista) – seis jogos
Christiano (meio-campista) – um jogo
Cal (meio-campista) – cinco jogos
Luiz Henrique (meio-campista) – 27 jogos
Tharcysio (atacante) – 22 jogos
Robinho (atacante) – 37 jogos
Odilávio (atacante) – seis jogos
Rogerinho (atacante) – sete jogos
Santa Cruz
Eduardo Britto (defensor) – sete jogos
Ítalo (defensor) – quatro jogos
Weslley (defensor) – um jogo
Lucas Gomes (meio-campista) – três jogos
Anderson (meio-campista) – três jogos
Williams Luz (meio-campista) – um jogo
Jeremias (meio-campista) – 17 jogos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *