Polícia Militar defende ação durante confusão no clássico ;

ADAURY VELOSO ;

Tumulto aconteceu durante jogo entre Sport e Santa Cruz, na última quarta ;

No dia seguinte aos incidentes ocorridos no clássico entre Sport e Santa Cruz, realizado na Ilha do Retiro, que acabou com mais de 50 pessoas feridas, a Polícia Militar garantiu que seguiu todos os procedimentos corretos para a situação. Outros envolvidos também se pronunciaram. A Federação Pernambucana de Futebol (FPF), por meio de nota, foi no mesmo caminho e disse que “todos os procedimentos de assistência e proteção à vida foi prestada aos torcedores”. O Sport lamentou os acontecimentos e também se isentou, alegando que “adota medidas preventivas de segurança, como determinam as instituições competentes e a Legislação”. O Santa Cruz foi mais incisivo e cogita pedir a mudança do local da próxima partida entre as equipes, válido pelas quartas de final do Campeonato Pernambucano. ;

A PM confirmou a versão de que tudo começou com um torcedor que teria acendido um sinalizador em meio ao espaço destinado aos torcedores do Santa Cruz. A ação da PM ao deter esse torcedor causou um tumulto que provocou a queda de várias pessoas arquibancada abaixo. A PM atribuiu toda a confusão à ação da torcida organizada, que estão proibidas de entrar nos estádios em Pernambuco. “Quando o choque prendeu o indivíduo que acendeu o sinalizador, algum grupo, que deve ser de torcida organizada, tomou um comportamento inesperado, que foi descer de forma abrupta a arquibancada e acabou se gerando uma reação em cadeia, que levou diversos torcedores a fazer o mesmo movimento (de fuga da confusão), o que causou o tumulto”, afirmou o coronel Alexandre Cruz, assessor de comunicação da Polícia Militar.
Na confusão, cerca de 60 torcedores ficaram feridos. Os atendimento iniciais foram realizados ainda no campo, por ambulâncias que foram chegando no decorrer da partida. Os feridos foram encaminhados para as UPAs da Abdias de Carvalho, Imbiribeira e Caxangá – essas duas últimas por terem atendimento ortopédico. A maior parte das lesões foram leves.
Os torcedores do Santa Cruz que estavam no local reclamaram da ação truculenta da PM, que teria piorado toda a situação. Em imagens da transmissão é possível ver que policiais bloquearam o portão que passagem da arquibancada ao campo, que havia sido arrombado pelos torcedores durante a confusão, mas que era o único acesso para que as pessoas pudessem ser atendidas. Houve uso de força e muito spray de pimenta, o que fez com que várias pessoas no entorno passassem mal. Em coletiva nesta manhã, a PM defendeu a ação e garantiu que tudo foi feito dentro dos procedimentos adequados.
“Havia indivíduos que não estavam preocupados com a integridade dos torcedores e tentaram atrapalhar ainda mais o espetáculo. Eles queriam entrar em campo e era um grupo considerável. O (Batalhão de) Choque usou a técnica necessária e fez retenção para que o grupo não entrasse no campo. A preocupação era dar assistência aos que se lesionaram. Tudo o que foi feito foi dentro da técnica”, garantiu o coronel Alexandre Cruz.
No total, cinco pessoas foram detidas e liberadas nesta quinta-feira pela manhã. Foram dois adolescentes e três homens, entre eles, o torcedor que acendeu o sinalizador. Um policicial ficou ferido, foi atendido e já está liberado.
A partida entre Sport e Santa Cruz, que terminou empatado em 1 a 1, marcou o fim do primeiro turno do Campeonato Pernambucano. Com o resultado, as equipes voltarão a se cruzar pelas quartas de final da competição, na próxima quarta-feira, novamente na Ilha do Retiro. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *