Presidente do Sport coloca que não teve o intuito de aposentar Magrão;

ADAURY VELOSO – Depois de divulgada a entrevista de esclarecimento do goleiro Magrão ao Globo Esporte, na tarde desta quinta-feira, o presidente do Sport,  citado pelo jogador como “frustração”, decidiu se pronunciar oficialmente no Centro de Treinamento do clube para esclarecer o ocorrido. Sob a justificativa de não querer polemizar o assunto devido ao respeito que tem pelo atleta, o mandatário rubro-negro não entrou a fundo no episódio da conversa que tiveram no início deste ano e revelou que há mais de cinco meses houve um acordo financeiro entre o defensor e o Sport. Estou vindo me pronunciar por conta da afirmação do Magrão de que teria tido uma conversa com a minha pessoa. Quando eu assumi o clube esse ano, logo no início, me encontrei com ele e sua esposa e reportei para ele a situação do Sport. Ele estava muito chateado, já veio me falando ‘estou aqui tem tanto tempo e o pessoal não me paga, não têm palavra’, etc. A partir daí, sentamos, conversamos e no dia 6 de fevereiro, pouco mais de 20 dias depois da conversa inicial, foi assinada a repactuação de dívidas. Repactuação essa que foi toda cumprida até o dia em que ele colocou o Sport na Justiça”, esclareceu “Se eu for lhe responder com detalhes, vou responder com a verdade, e aí vai vir a polêmica, mas eu não quero polemizar. Isso cabe várias interpretações. Se são dois amigos conversando, eles trocam opinião porque querem o melhor para o outro. Quando eu conversei com Magrão era Milton Bivar amigo de Magrão e sua família. Não houve ressentimento algum nessa conversa. Foi tudo tranquilo. Se no Sport, em algum momento, ele não foi tratado como deveria, mas posso garantir que nesses 14 anos de clube, pelo menos 10 ele não teve problema de salário. Foi uma conversa de amigos. Em fevereiro fizemos um acordo amigável. Foi voluntário das duas partes. Seguimos juntos até aqui, como amigos”, acrescentou O presidente aproveitou a ocasião para trazer à tona informações antigas a respeito da história do goleiro no Leão. “Preciso dizer que quando eu cheguei para ser diretor de futebol, em 2006, estive responsável pela parte de contratações. O Magrão estava em uma lista de dispensa. Essa lista chegou na minha mão. Obtive boas referências sobre ele, eu não conhecia 100%, mas segurei a barra dele e ele ficou. Em 2007, me tornei presidente e o Magrão estava lá comigo. Em 2008, o Sport foi campeão da Copa do Brasil; Magrão estava comigo. Em 2009, disputamos a Libertadores e Magrão estava comigo. Em 2013 voltei ao clube, fui vice-presidente de futebol, Magrão estava comigo. Por fim, em 2019, voltei à gestão e o Magrão, novamente, estava comigo. Portanto, mais da metade da história de Magrão tem Milton Bivar. Sempre estive junto dele e tínhamos um ótimo relacionamento”, destacou.

Aposentadoria?

O goleiro ídolo do Leão ainda não se pronunciou oficialmente sobre possível decisão de se aposentar. Entretanto, Milton adiantou que, caso essa seja a escolha do jogador, tem a ver com a idade ou com algum outro assunto pessoal, só não com a sua pessoa. “Não fui eu que envelheci Magrão. Não sei se ele vai se aposentar, mas se ele for, é por causa da idade ou outro motivo, não foi Milton Bivar. “Reconheço  o que ele fez pelo Sport, o ser humano que ele foi. Eu sei o quanto é difícil parar; nem todos os atletas estão prontos para isso. Em respeito a tudo isso que eu falei agora, não vou criar polêmica em cima disso. Não guardo rancor de ninguém e convoquei essa coletiva para colocarmos um ponto final nisso e passarmos a focar no Campeonato.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *