pressão após derrotas, técnico do Náutico não vê vantagem em jogar fora

Adaury veloso;

Os próximos dias no Náutico ganharam uma pressão a mais. Não bastasse atuar fora de casa pela Copa do Nordeste, no próximo domingo contra o Campinense, e contra o Guarani de Juazeiro, pela Copa do Brasil, o Timbu vem de duas derrotas consecutivas para clubes locais. Sair do Recife poderia ser encarado como uma vantagem nesse momento. Poderia dar mais tranquilidade ao elenco, já que não terá que encarar a pressão da própria torcida. Dado Cavalcanti não pensa assim.
“Eu acho que não é benéfico. Jogar no nosso campo é mais vantagem tendo ou não pressão. Não conhecemos o campo de Campina Grande. Não tem a mesma qualidade da Arena. Se fosse em João Pessoa poderia nos ajudar. Isso não é desculpa, mas sabemos que não é a mesma coisa”, explicou.
Apesar desses problemas, Dado Cavalcanti espera que a resposta venha rápido. Acredita que esse é o momento dele e dos atletas assumirem a responsabilidade e mostrarem o seu melhor. “A gente vai pro choque e essa é a hora que precisamos aparecer. É essa a hora dos jogadores experientes e de decisão”, afirmou o técnico.
O Náutico vai precisar encarar os dois próximos jogos como verdadeiras decisões já que tropeços nas duas partidas podem custar caro ao Timbu. Na primeira partida, na Paraíba, uma derrota pode deixar a equipe mais distante do Santa Cruz e do Campinense. Na quarta-feira, em Juazeiro, uma derrota significa a eliminação da Copa do Brasil. Situações indesejadas para um clube que deseja tanto sair da fila de títulos e seguir na disputa nas competições nas quais participa neste primeiro semestre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *