Roberto Fernandes admite pior momento do Náutico ;

ADAURY VELOSO ;

NÁUTICO

Técnico admite pior momento do Náutico e mira próximo jogo: ‘Corrigir o que está ao alcance’

O treinador, veementemente, afirmou que tudo tem um porquê e deixou claro que o aspecto físico tem atrapalhado bastante o desempenho do grupo ;

Depois de mais uma derrota do Náutico na Série C, desta vez para o Confiança, por 4 a 2, a pressão em cima do técnico Roberto Fernandes aumentou ainda mais. Apesar de ter quebrado um tabu histórico este ano no Campeonato Pernambucano, do qual foi campeão, o Timbu, surpreendentemente, não conseguiu sequer uma vitória no Brasileiro, o que abre espaço para questionamentos negativos sobre a atual campanha do time. Alvirrubro buscará, a todo custo, uma vitória sobre o Salgueiro, no próximo sábado.

O treinador reconheceu o momento complicado do clube, mas, veementemente, afirmou que tudo tem um porquê e deixou claro que o aspecto físico tem atrapalhado bastante o desempenho do grupo. “Eu sou homem demais para assumir responsabilidades e este é o pior momento do Náutico na temporada. O que fizemos no Estadual não estamos conseguindo fazer agora porque estamos sem capacidade física. Isso é visível a todos que querem enxergar”, disse. “Nos superamos durante a temporada na força, raça e determinação. Hoje não estamos conseguindo jogar assim porque muitos atletas que disputaram o Pernambucano estão no departamento médico”, acrescentou.
A avaliação de Roberto Fernandes sobre a derrota deste sábado foi franca. “Eu acho que jogamos hoje com uma equipe melhor preparada, independente de mando de campo. O Confiança tem cara da série C. Sete jogadores acima dos 30 anos. A equipe do Dragão conseguiu com maturidade segurar o ímpeto do Náutico, tanto que começou abrindo o placar”, elogiou ele. “Levamos uma ducha na hora do gol. Não conseguimos nos reorganizar no primeiro tempo”, avaliou destacando, contudo, que o time voltou para a segunda etapa com uma outra atitude.
Embora a situação do Timbu esteja ruim no momento, a perspectiva de Roberto é positiva. “A situação é incômoda para todo mundo, mas, a partir do momento que conseguirmos uma sequência de duas ou três vitórias, é possível que a equipe ganhe mais confiança e crie outro contexto. Minha cabeça é trabalhar para sair dessa situação”, comentou.
Apesar do otimismo, o técnico também deixou cobranças para si mesmo e para o time, no geral. “Independente da melhora física e técnica, precisamos vencer o próximo jogo. Temos que corrigir aquilo que está no alcance de ser corrigido. É colocar o coração na ponta da chuteira para quebrarmos a sequência de secas, superando todos esses problemas. Esse espírito tem que se disseminar”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *