Roberto Fernandes imprime nova identidade ao time;

ADAURY VELOSO ;

SANTA CRUZ

Em estreia vitoriosa no Arruda, técnico dá nova identidade ao time, mas reclama de arbitragem

Roberto conseguiu imprimir uma nova identidade ao grupo e, após ser expulso da área técnica no fim do jogo, saiu aplaudido pelos torcedores;

O técnico Roberto Fernandes estreou no Arruda defendendo o Santa Cruz com uma vitória suada e carregada de drama sobre o Juazeirense, mas caracterizada por uma mudança de postura do time. Desde o primeiro minuto do jogo, a equipe coral apresentou um comportamento que há tempos era cobrado pela torcida: entrega e raça. Em menos de duas semanas no comando Tricolor, Roberto conseguiu imprimir uma nova identidade ao grupo e, após ser expulso da área técnica no final da partida, saiu aplaudido pelos torcedores que compareceram ao estádio.

O treinador, satisfeito com o três pontos conquistados nesse 1 a 0, elogiou o time e comemorou o que pode ser o início de um novo estilo de jogo do time. “A vitória em casa é fundamental e essa de hoje não foi diferente. O torcedor, mesmo com o peso de uma eliminação recente (Nordestão), voltou a chamar o time de guerreiro. O Santa Cruz durante muito tempo jogou com o domínio da posse de bola, mas sem conseguir converter isso em resultado. Precisávamos de uma equipe com mais entrega, mais raça. Demos um passo importante para o nosso objetivo”, comentou.
Citando o cenário que encontrou quando chegou ao comando do Santa, Roberto traçou as principais consequências, com implicações bem importantes, da vitória deste sábado. “Hoje vimos três evoluções fundamentais: o Santa voltou a vencer, na Série C, o elenco, que estava cabisbaixo e sem confiança, voltou a ter auto estima. E, por último, reatamos a confiança do nosso torcedor”, disse. “O Santa Cruz tem uma camisa de peso na Série C. Me refiro à obrigação do acesso, mas, em contrapartida, o clube não vive um momento financeiro proporcional. Precisamos manter o equilíbrio e manter os pés no chão para nos consolidarmos no G4”, declarou
Os jogadores também reconheceram o impacto da mudança de postura e revelaram o que ouviram do comandante coral antes da partida. “Resultado emblemático. A gente tem que assumir esse estilo de jogo; o Roberto incorpora muito isso. Estamos tentando resgatar o passado desse clube. O mínimo que devemos fazer é jogar assim porque isso vai nos ajudar no resto do campeonato”, explicou o zagueiro Danny Morais. “ O professor pediu garra e vontade e hoje não faltou. Dentro de casa não pode perder mais pontos. Pode ser um placar sofrido e chorado, mas tem que ter a vitória”, concluiu o autor do gol do jogo, Robinho.

Arbitragem:

O Santa conseguiu os três pontos, mas, para Roberto Fernandes, a equipe foi prejudicada pela arbitragem, principalmente no final da partida, quando o juiz decidiu dar sete minutos de acréscimo. Ainda em campo, ele reclamou da decisão e acabou expulso da área técnica. Sobre a ocasião, esclareceu: “Quero perguntar. Quem estava certo? Eu ou a arbitragem? Os árbitros às vezes se sentem acima do bem e do mal. Fui acintoso, mas eu tinha razão. Eles acham ruim o fato de eu reclamar mesmo estando errados. O Santa não fez cai cai. Eu queria uma justificativa do juiz para os sete minutos de acréscimo”, exclamou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *