Roberto Fernandes promete Náutico mais ofensivo contra o Cuiabá ;

ADAURY VELOSO ;

Para treinador, Timbu não pode aceitar a imposição do adversário na Arena Pantanal ;

O técnico Roberto Fernandes encerrou na manhã desta segunda-feira, em um trabalho de portões fechados à imprensa, os preparativos no Recife para a partida desta quarta, contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, pela Copa do Brasil. Porém, apesar do mistério, o treinador disse na entrevista coletiva que espera que a sua equipe tenha uma postura um pouco mais ofensiva da que demonstrou na vitória por 1 a 0 no último sábado, diante do Bahia, pela Copa do Nordeste. Mesmo precisando apenas de um empate para avançar as quartas de final da competição nacional e faturar uma cota de premiação de R$ 1,8 milhão.

Roberto Fernandes já havia adiantado que fará mudanças na escalação, com relação ao time que iniciou o confronto diante do Bahia. “O Náutico mais do que nunca tem que fazer um jogo equilibrado. Suportar a pressão do Bahia foi um ponto importante, dá a confiança ao grupo de ter conquistado a vitória mesmo com toda a pressão, mas também deixa algumas lições. Não dá para a gente aceitar tanto a imposição do adversário”, pontuou.
O treinador alvirrubro lembrou que a maioria das suas modificações durante as partidas é com o intuito de reforçar o sistema ofensivo. O que abre margem para o que pode acontecer diante do Cuiabá. Vale ressaltar que contra o Bahia, o treinador utilizou pela primeira vez na temporada um esquema com três volantes, promovendo a estreia de Wendel e o retorno de Jobson, ao lado de Negretti no meio de campo. Dessa forma, há a perspectiva que um desses volantes saia do time (o mais provável seria Jobson) para a entrada de um jogador mais ofensivo.
“Em 90% de todas as alterações que eu faço no Náutico é sempre colocando um cara mais ofensivo do que aquele que vinha jogando. Acho que o jogo do Bahia nos traz essa lição. Devo ter alguma alteração em relação a isso. Talvez com a equipe um pouco mais avançada, seja em característica de jogo ou até de jogador. Para que a gente vá para essa partida não só para ver o Cuiabá jogar. Nós temos que pensar nessa vantagem do empate faltando cinco minutos para acabar o jogo. Fora disso nós temos que ir para lá pensando em vitória também”, resumiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *