Sport brinda campanha bem-sucedida:

ADAURY VELOSO – Rubro-negros coroam temporada da redenção com trajetória brilhante e grandes personagens até retorno à elite do futebol nacional; Enfim, o torcedor leonino respira aliviado. Com a vitória contra a Ponte Preta, o Sport garantiu o retorno à Série A do Campeonato Brasileiro. Apesar de deixar os rubro-negros ansiosos com a demora para garantir o acesso, o time pernambucano contou com grandes personagens na campanha de sucesso nesta edição da Série B. Do comando técnico à dupla Guilherme e Hernane Brocador, o ano foi de afirmações durante a jornada que levou o Leão à conquista do seu principal objetivo em 2019.

Quando contratado pelo Sport em fevereiro, Guto Ferreira chegou para substituir Milton Cruz. Após ser eliminado na primeira fase da Copa do Brasil pelo Tombense e, na sequência, perder o Clássico das Multidões para o Santa Cruz, o então treinador não resistiu às críticas da torcida e pediu o boné com dois meses de trabalho. Três dias depois, Guto foi apresentado pelo diretor Nelo Campos como o “Rei do Acesso”. O apelido fazia referência aos acessos com Ponte Preta, em 2014, e o Bahia, em 2017, à Série A do Campeonato Brasileiro, e com o Mogi Mirim, que foi da Série D para a C, em 2012.

Na véspera de sua apresentação, o Sport havia revelado déficit superior a R$ 100 milhões. No entanto, Guto minimizou o caso afimando ter assumido times em condições piores durante sua carreira. Antes de iniciar a caminhada em busca do retorno à elite do futebol nacional, conquistou o Estadual pelo clube em cima do Náutico. Hoje, faltando uma rodada para o término da Série B, o técnico conseguiu 17 vitórias, 16 empates e apenas quatro derrotas na competição nacional, fazendo jus ao apelido que recebeu do dirigente leonino em sua chegada. Além do mais, manteve o sonho do título vivo até a 36ª rodada.

Com 29 gols sofridos nesta Série B, o sistema defensivo do Leão foi um dos fatores primordiais para o sucesso do Sport na campanha do acesso. Desde a lesão de Magrão em outubro do ano passado até a saída conturbada do ídolo na metade de 2019, Maílson tomou conta da meta rubro-negra, deixando o torcedor satisfeito com o novo titular. Até o estiramento no ligamento cruzado do joelho direito, no último mês, o arqueiro participou de 29 jogos neste Brasileiro. Apesar dos 26 gols tomados, as grandes atuações o consolidaram como referência na meta do clube pernambucano. Em sua ausência, Luan Polli não comprometeu a classificação leonina. O catarinense de 26 anos teve atuações seguras nos oito jogos que esteve como titular.

Outro ícone da retaguarda rubro-negra, Sander ganhou de vez a admiração dos torcedores nesta temporada. Em seu terceiro ano com a camisa do Sport, o lateral foi um dos símbolos do Leão em 2019. Logo quando chegou ao clube, em 2017, prometeu deixar 120% em campo sempre que fosse acionado. Após a saída de Magrão, tornou-se o capitão do Rubro-Negro, por conta de sua liderança junto ao elenco. Sempre focado e raçudo, anotou seus dois primeiros gols defedendo as cores do vice-líder do Brasileiro, nesta Série B, além de ultrapassar a marca dos 100 jogos pelo clube. Coadjuvante de luxo, Charles é mais um volante que se destaca com a camisa do Sport. Anteriormente, havia sido assim com Rithely, Anselmo, Jair e Patrick. Emprestado junto ao Internacional, o atleta de 23 anos tomou conta do setor de meio-campo. Dos 37 jogos até aqui nesta Série B, ele esteve presente em 33. É o titular absoluto no esquema de Guto e mostrou-se regular nos desarmes e na marcação, além de ajudar o Leão com dois gols no campeonato. Balançou as redes nos três pontos conquistados frente ao Vitória e no triunfo de 3×1 sobre o Operário/PR.

Porém, nenhum setor fez tanta diferença para o clube pernambucano na campanha do acesso quanto o ofensivo. Dos 49 gols marcados pelo time de Guto Ferreira nesta Segundona, 31 foram anotados pela dupla Guilherme/Hernane. O camisa 11 balançou as redes adversárias em 17 oportunidades, enquanto Brocador marcou 14 vezes. Não se via uma parceria tão eficiente pelos lados da Ilha do Retiro desde os tempos de André e Diego Souza, em 2017. À época, os ex-jogadores ajudaram o Leão com 27 gols na Série A. Emprestado pelo Grêmio, Guilherme recebeu sondagens para deixar o Rubro-Negro, mas abraçou o projeto de levar o clube de volta à principal competição do País. Virou referência no ataque, depois da lesão que tirou Hernane dos gramados, no último dia nove, e assumiu a artilharia da Série B. Com o sucesso em 2019, será que o dueto seguirá fazendo a alegria dos leoninos em 2020? Resta aguardar as cenas dos próximos capítulos, agora com o Sport de volta à elite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *