Sport joga melhor que Botafogo, mas cede empate ;

ADAURY VELOSO ;

SÉRIE A

Em dia de Gatito na Ilha, Sport joga melhor que Botafogo, mas cede empate no fim do jogo

Rubro-negro foi sofreu gol aos 48 minutos da etapa final e viu vitória escapar ;

O gol de Rodrigo Lindoso, aos 48 minutos do segundo tempo, pode ter desconstruído tudo o que o Sport fez diante do Botafogo. Melhor durante toda a partida, a equipe rubro-negra mostrou uma nova face após a estreia ruim na Série A. Recheado de mudanças promovidas pelo técnico Nelsinho Batista, o Leão dominou o rival na Ilha do Retiro e chegou a abrir o placar no fim com Everton Felipe após grandes defesas do goleiro Gatito. Uma nova falha de marcação, contudo, deixou o meio-campista rival sozinho na área. Espaço fatal e que assegurou o amargo empate em 1 a 1, nesta segunda-feira, deixando o Leão na 17ª posição.

Com o resultado, o tabu foi ampliado. Em quatro anos, o Leão não vence o Alvinegro há oito partidas. Agora, o Sport deixa o tabu de lado e vai até Curitiba, onde enfrenta o Paraná, às 16h do próximo domingo. Um jogo com caráter decisivo desde já porque envolve times que têm o principal objetivo de se manter na elite.

Primeiro tempo

Pressionado antes mesmo do início da partida, o técnico Nelsinho Batista reformulou o time titular após a péssima estreia no Brasileiro. Foram mudanças em todos os setores. Mailson, Sander, Ronaldo Alves, Neto Moura e Rogério assumiram a condição de titular. Além disso, o lateral Raul Prata voltou a ocupar o lado direito da defesa. No total, foram seis modificações no desenho da equipe. Porém, no início, a avaliação da nova formação ficou prejudicada pelo gramado da Ilha do Retiro. Após as fortes chuvas no Recife, o campo ficou encharcado.
Erros de passe foram comuns, principalmente de Neto Moura – que não conseguiu justificar a sua escalação em campo. O terreno perigoso, aliás, possibilitou ao Botafogo a primeira chance do jogo após Ernando cortar a bola errado, aos quatro minutos. Anselmo, no entanto, cortou o lance e impediu que a bola chegasse a Mailson, pouco exigido na etapa inicial. Aos seis, o próprio Ernando se redimiu do erro e tirou outro perigo da área após cruzamento de Léo Valencia.

Depois desses lances pontuais, o Leão tomou as rédeas da partida. A marcação adiantada permitiu ao Rubro-negro manter a bola no campo de ataque, sufocando o Botafogo. Como resultado, o Sport criou quatro chances claras de gol. No entanto, Marlone (na melhor delas), Gabriel, Rogério e o cruzamento de Sander desviado em Brenner pararam todos nas mãos do inspirado Gatito.

Apesar do 0 a 0 na etapa inicial, as escolhas de Nelsinho Batista deram mais dinamismo ao jogo do Leão. Um dos destaques foi Rogério, que acabou alternando entre a função de centroavante e ponta direita, levando a melhor sobre a defesa rival com frequência.

Segundo tempo

Na volta para a etapa final, o jogo ficou ainda mais aberto. O dez primeiros minutos foram de mais posse ofensiva do Botafogo. Mas, o jogo voltou a ser do Sport logo depois. Novamente, porém, o tormento do rubro-negros voltou a aparecer e evitou uma nova chance de Rogério, saindo bem gol e fechando o ângulo.

A partir dos 20 minutos, ambos os times entraram em declínio físico diante do pesado gramado. Ronaldo Alves chegou até ter um gol anulado após estar impedido. O fato é que a mobilidade ofensiva do Sport já não era a mesma quando Mailson fez o inusitado.

Após defender a bola, lançou rapidamente Everton Felipe. O prata da casa avançou, cortou para a direita e acertou um chute no canto esquerdo, aos 40 minutos. Enfim, Gatito foi vencido. Depois, contudo, um duro castigo. Em nova falha de marcação, a defesa do Sporti assistiu Rodrigo Lindoso empatar a partida, aos 48, dentro da área e sozinho.

Ficha do jogo

Sport 1

Mailson, Raul Prata, Ronaldo Alves, Ernando e Sander; Anselmo, Neto Moura (Hygor), Andrigo (Everton Felipe), Gabriel (Fellipe Bastos) e Marlone; Rogério. Técnico: Nelsinho Batista

Botafogo 1

Gatito; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Gustavo Bochecha e Léo Valencia (Ezequiel); Rodrigo Pimpão (Pachu) e Brenner (Kieza). Técnico: Alberto Valentim.
Local: Ilha do Retiro (Recife).
Árbitro: Rafael Traci (PR).
Assistentes: Bruno Boschilia (PR-FIFA) e Ivan Carlos Bohn (PR).
Gols: Everton Felipe (40min do 2ºT); Rodrigo Lindoso (aos 48min do 2ºT)
Cartões Amarelos: Neto Moura (S); Rodrigo Pimpão, Igor Rabello, Gustavo Bochecha (B)
Público: 7.083 pessoas
Renda: R$ 101.020,00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *