Técnico do Sport lamenta gol sofrido em contra-ataque ;

ADAURY VELOSO ;

SPORT

Técnico do Sport lamenta gol sofrido em contra-ataque e defende entrada de Hygor em campo

Claudinei Oliveira diz que atacante está treinando bem e merecia chance;

Parece filme repetido. Desde que a Série A do Brasileiro foi retomada após a pausa da Copa do Mundo, o Sport começa o jogo melhor que o rival, perde chances e não mata a partida. Pior. Sai derrotado. O mesmo fato aconteceu nesta quinta-feira diante do Vitória, no estádio Barrão, em Salvador. O placar de 1 a 0 foi injusto até certo ponto por isso, de acordo com Claudinei Oliveira. O treinador foi além e criticou o fato de ter sofrido um gol de contra-ataque atuando fora de casa. Por outro lado, usou palavras amenas para comentar a substituição que realizou após a lesão de Rogério acionando Hygor, que fez um jogo ruim. Não para ele.

“Acho que a gente fez um bom primeiro tempo. A melhor chance foi nossa (com Michel Bastos), mas, infelizmente, a bola não entrou. Na segunda etapa, eu disse para os jogadores que a única forma da gente tomar gol era de contra-ataque e era inadmissível que tomar assim jogando fora de casa. Acabamos perdendo a bola de escanteio e sofremos esse gol de contra-ataque. Depois, lutamos e criamos chances. Acredito que tivemos mais finalizações, mas não adianta estatística sem fazer gol”, avaliou o treinador do Sport.
O treinador ainda avaliou a sequência negativa do Sport, com três derrotas seguidas na competição e, agora, mesmo em 12º lugar, está a três pontos da zona de rebaixamento. Além disso, na próxima partida, irá enfrentar o Flamengo. “Eu disse aos atletas que a gente não pode achar que está bom. São três derrotas e não para aceitar. Sabemos da dificuldade de enfrentar o Flamengo, no Maracanã, mas temos condições de vencer lá. Não podemos fazer terra arrasada. Nos colocamos nessa condição e temos que sair dela”, declarou.

Entrada de Hygor

Ainda no primeiro tempo, o técnico Claudinei Oliveira foi forçado a fazer uma mudança com a lesão possivelmente muscular sofrida por Rogério. Ele optou por aciona Hygor, que acabou com dificuldade em dar sequências às jogadas e ainda perdeu um gol de frente com o goleiro do Vitória. Ainda assim, o comandante fez uma boa avaliação do atleta.
“A substituição do Hygor foi por característica do atleta. Carlos (Henrique) é mais de proteção. O Vitória esta jogando com a defesa em linha alta. Até pensamos em colocar Marlone para colocar o Rafael (Marques) centralizado, mas perderíamos em profundidade. Optei por Hygor, que é um menino que vem treinando muito bem. Então, não posso achar que vai mal quando entrar. Acho que ele fez um bom jogo. Criou algumas chances. A mudança foi mesmo mais uma situação de jogo de ter um jogador velocista para explorar as jogadas em profundidade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *