Treinador adota discurso de competitividade;

ADAURY VELOSO ;

SPORT

Treinador adota discurso de competitividade e faz Sport ser mais destemido na Série A

Claudinei Oliveira deixa ‘desculpas prontas’ de lado e faz a equipe crescer;

Desde que chegou ao Sport, há um mês, o técnico Claudinei Oliveira mudou o rumo do time na Série A. Muito pela parte tática, é verdade. Mas, também, porque passou a trabalhar o lado psicológico da equipe. A cada entrevista, preleção e, até mesmo nas substituições no decorrer dos jogos, o treinador rubro-negro faz questão de dar sinais de que quer um time destemido na Série A. Sempre em busca da vitória independentemente do rival. Algo que, por exemplo, aconteceu diante do Palmeiras, no último sábado, com o triunfo de 3 a 2 sobre o Alviverde em pleno Allianz Parque.

A postura com o que time vem atuando longe dos seus domínios, aliás, é um termômetro para medir essa mudança. O Rubro-negro está na disputa da nona edição na elite do futebol brasileiro desde que foi instalado os pontos corridos. Atuando fora de casa, o clube sempre sofreu. Para se ter ideia, o recorde de vitórias como visitante na competição veio ano passado com cinco triunfos nos 19 jogos fora de casa. Nesta temporada, em apenas três partidas, a equipe já tem duas vitórias na bagagem, com um aproveitamento de 66,6% (veja os números).
Por trás desses números, Claudinei Oliveira empregou uma nova filosofia de trabalho no Rubro-negro para além da postura tática. Uma delas é deixar as desculpas prontas de fora do dia a dia. Por exemplo, diante do Palmeiras, o Sport teve um rival com poder aquisitivo extremamente superior e ainda sofreu com os problemas de deslocamento devido a crise de abastecimento dos combustíveis. Em vez de se lamentar, ele preferiu cobrar uma postura de competitividade dos jogadores sem espaço para lamentações.
“O Sport tem que se sentir igual a todas as equipes por mais que a gente saiba da diferença de aporte financeiro. É isso que passo para eles, que confiem, que se dediquem e a gente terá condição de ganhar de todos os adversários. Tem que ter empenho e não achar que será fácil em nenhum momento”, disse Claudinei.
“Os membros da diretoria estavam presentes na preleção (de sábado). Em nenhum momento, eu falo que a gente veio para empatar. Eu não sai do Recife esperando ficar no 0 a 0 ou no 1 a 1. O empate não é ruim. Só que a gente tem que batalhar para conseguir uma vitória. Ele pode até não vir como foi em Belo Horizonte (perdeu de 2 a 0 para o Cruzeiro). Pode vir o empate também. Mas não podemos aceitar isso (de perder) como uma coisa normal”, acrescentou.

Sport fora de casa nos pontos corridos da Série A

Em 2007

3 vitórias, 4 empates e 12 derrotas

Em 2008

3 vitórias, 4 empates e 12 derrotas

Em 2009

7 empates e 12 derrotas

Em 2012

3 vitórias, 5 empates e 11 derrotas

Em 2014

4 vitórias, 4 empates e 11 derrotas

Em 2015

2 vitórias, 9 empates e 8 derrotas

Em 2016

3 vitórias, 3 empates e 13 derrotas

Em 2017

5 vitórias, 2 empates e 12 derrotas

Em 2018

2 vitórias e 1 derrota (com 16 jogos a menos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *