ORGANIZADAS VIOLÊNCIA; Apenas um suspeito foi identificado;

ADAURY VELOSO ; GERAL

Apenas um identificado, por enquanto, em briga de organizadas

Segundo o delegado responsável, trata-se de um reincidente, que deve ser ouvido nos próximos dias;  Até o final da tarde desta terça-feira (10), somente um suspeito envolvido na briga entre membros de facções organizadas, no último domingo (8), antes do jogo entre Santa Cruz e Remo/PA, pela Série C do Campeonato Brasileiro, havia sido identificado pela equipe da Delegacia de Repressão à Intolerância Esportiva. Segundo o titular da unidade, Paulo Moraes, trata-se de um reincidente e o mesmo deve ser ouvido até o final desta semana.

O delegado disse correr contra o tempo para resgatar imagens de câmeras de Segurança da Secretaria de Defesa Social (SDS) e de prédios próximos aos locais dos embates, na zona norte, a fim de identificar outros envolvidos. “A SDS enviou algumas imagens, mas de outras localidades. Precisamos dos locais específicos. Estamos atrás dos prédios também, pois a maioria tem as imagens apagadas em um prazo de quatro dias”, destacou o delegado, informando que, até o momento, foram ouvidas testemunhas e familiares de algumas vítimas.

Seguem internados no Hospital da Restauração Bruno Felipe de Luna Freire, de 22 anos, em estado grave, e Gabriel Barbosa Gonzaga, de 28, em situação estável. Através de nota, o Ministério Público de Pernambuco disse que o promotor de Justiça do Torcedor, José Bispo, não se pronunciará, uma vez que as agressões não se enquadram na competência do Juizado Especial Cível e Criminal do Torcedor (JETEP), voltado somente para crimes de menor potencial ofensivo. Qualquer pronunciamento será feito somente após a conclusão do inquérito policial pela Justiça comum.

Cotel

Nenhuma das cinco pessoas detidas no domingo e encaminhadas ao Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), na segunda-feira (9), tem envolvimento direto com o confronto entre membros das facções organizadas ligadas ao Santa Cruz, ao Remo/PA e ao Sport, embora integrem tais grupos. “A princípio, pensamos que um deles poderia estar envolvido, mas não. Esse caso é de roubo e lesão, em Casa Amarela”, frisou o delegado Paulo Moraes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *