Yan é oficialmente apresentado no Sport;

ADAURY VELOSO –

Jogador de 20 anos foi bastante elogiado nos primeiros jogos e, em sua primeira coletiva, minimizou possível ‘rivalidade’ na disputa por vaga no time; Devido ao cronograma apertado do Sport na pausa para a Copa América, que envolveu a disputa da Taça dos Campeões bem próxima a reestreia da Série B, que aconteceu na última terça-feira, o clube apresentou o atacante Yan, seu mais novo reforço, apenas nesta quarta-feira, no Centro de Treinamento José de Andrade Médicis. Na contramão do que é usual, antes de ser oficialmente apresentado, o jogador já disputou três partidas e conquistou um título pelo Rubro-negro ,

“O Yan foi um atleta que a gente prospectou junto ao Palmeiras e quando colocamos para o nosso treinador teve aprovação quase que imediata. O Guto (Ferreira) já conhecia o Yan de vê-lo e de ouvir falar dele. É um jogador que a gente confia, que atua em um setor que tem muitas trocas. Hoje, nós podemos falar tranquilamente que o Sport está muito bem servido de atacantes de beirada, temos alguns com muita qualidade e sabemos que é uma posição de muito desgaste. Por isso, a gente sempre quis ter boas opções, dando maior poder de escolha – a famosa dor de cabeça boa – para o nosso comandante, para que ele possa montar a equipe da maneira que melhor servir a ele”, pontuou o executivo de futebol do Leão, Lucas Drubscky.
Elogiado pela torcida desde a primeira partida, Yan chegou ao Leão após passagem no Estoril Praia. Com os direitos vinculados ao Palmeiras, o jogador retornou de empréstimo ao clube português e foi procurado pelo Sport. Atacante de beirada, o jogador contou que foi muito bem recebido pelo grupo, inclusive, por Ezequiel, com quem deve disputar a posição de titular na ponta direita.
“O elenco me recebeu muito bem, achei que ia ser um pouco mais complicado para me adaptar. Eu já conhecia o Adryelson e isso me ajudou muito. Quanto ao Ezequiel, ele é um dos caras que eu mais converso, não temos problema nenhum com isso. Sabemos que jogamos em posição parecida, podemos até jogar juntos, mas não tem problema nenhum. Não tem rivalidade. O que temos é o objetivo que é colocar o Sport de volta na Série A. Já conhecia o Ezequiel de antes. Joguei contra ele, no Botafogo, pelo Vitória. Jogamos uma final e eu ganhei dele (risos), mas não tem rivalidade nenhuma”, contou Yan.

Confira alguns dos pontos abordados pelo novo reforço leonino:

Chegada
“Quero dizer que vou recompensar o esforço que foi feito para que eu vir para cá dentro de campo, dizer que estou muito feliz de estar aqui no Sport e que quando chegou até mim a possibilidade de vir para Recife, eu fiquei muito feliz. Sei que o Sport é um dos grandes clubes do Brasil e é uma honra vestir essa camisa. Agora, é batalhar e treinar firme para dar os resultados dentro de campo.”
Expectativa
“Eu fico muito feliz. Todo atleta quer ser reconhecido e elogiado e, querendo ou não, nós, jogadores buscamos isso. Quanto a titularidade, é claro que todo atleta sempre quer estar jogando, mas isso eu deixo a cargo do Guto. Eu prezo por estar trabalhando sempre e esperar a minha oportunidade.”
Objetivos na carreira
“O Sport é um grande clube e pode me dar muita visibilidade. Neste momento, eu penso no passo a passo, primeiro temos que conquistar nossos objetivos aqui, que é o acesso e, consequentemente, ser campeão.”
Série B
“A torcida do Palmeiras sempre tem muito carinho pelos jogadores da base, como exemplo, o Gabriel Jesus, quando subiu foi muito abraçado e eles chegam a cobrar mais jogadores da base no profissional, mas o Palmeiras tem um grupo muito forte e acaba sendo muito complicado. Vir para o Sport é uma forma de crescer, é um lugar onde eu posso crescer mais. Eu já tinha entrado em contato com a Série B jogando algumas partidas pelo Vitória, em Portugal, eu também aprendi muito e acho que posso contribuir bastante com o grupo dessa forma. Aprendi muito taticamente, aprendi uma forma de jogar diferente e posso me encaixar em várias formas de jogar como o Guto quer.”
 
Por que o Sport?
“Antes de saber da proposta do Sport, eu tinha recebido outras propostas, mas assim que chegou o comunicado que o Sport queria contar com o meu futebol eu não pensei duas vezes. Primeiro, pelo que o Guto falou, pois ele já me conhecia; segundo, pela grandeza do Sport e pelas ambições que o clube tem. Por isso, não pensei duas vezes em vir para cá.”
Elogios 
“Todo o jogador que trabalha muito, que treina muito e que se dedica muito, espera isso, dar resultados dentro de campo e ser reconhecido. Para mim, não foi surpresa nenhuma. EU já vim com um pouco de ritmo de jogo de Portugal. Acho que aconteceu tudo de maneira natural e do jeito que eu esperava.”
O começo 
“Eu comecei na categoria de base do Vitória, foi meu primeiro clube. Depois, acabei indo para as categorias de base do Palmeiras a partir de uma transação entre os dois clubes e o resto da história vocês já conhecem. Eu sou de Alagoinhas, nasci em Alagoinhas, mas passei a maior parte da minha vida em Aramari, que é para onde eu volto sempre, onde passo as minhas férias.”
 
Reconhecimento
“Algumas pessoas já reconhecem. Um dia desses eu fui no mercado e as pessoas já param para tirar foto, mas  isso é normal. É uma coisa boa e espero ser ainda mais reconhecido aqui.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *