20 anos sem o Queixada

ademir_menezes1463006716-ademir1
Em 11 de maio de 1996, há exatos 20 anos, o futebol brasileiro perdia Ademir Menezes. O “Queixada”, que fez história por todos os clubes que passou e também pela Seleção Brasileira, foi um dos maiores craques que o gramado da Ilha do Retiro presenciou. Ademir, revelado nas categorias de base do Leão, foi campeão pernambucano com o profissional em 1941, mas sua influência no Clube vai muito além.

ENTRE TERRA E MAR
A maioria dos grandes craques começa sua carreira dentro de um Clube por meio de testes para o futebol. Mas Ademir, diferenciado e campeão em toda sua vida, começou a defender as cores rubro-negras dentro das águas. Ele reforçou a equipe de natação do Leão e ganhou seus primeiros prêmios entre uma raia e outra. Mas ele resolveu trocar as braçadas pelos chutes precisos e com apenas 16 anos já exalava liderança, tornando-se capitão do time juvenil, ganhando o Estadual em 1938.

TIME PRINCIPAL
No ano seguinte, depois de ser campeão pernambucano na base, Ademir foi integrado ao elenco principal. Naquele ano, em 39, ele estreou diante do Tramways, no Campeonato Pernambucano, mas na temporada ele jogou apenas mais uma vez. Já em 1940, ele começou a ganhar mais espaço.
Mas o ano que já estava escrito na história para que Ademir brilhasse era 1941. O presente para a sua maioridade foi a taça do Campeonato Pernambucano de forma invicta. O menino endiabrado foi o artilheiro daquele ano, marcando também seu primeiro e único hat-trick pelo Sport. A pressão sequer fazia cócegas em Ademir, que marcou três gols na final contra o Náutico, em pleno Aflitos, na vitória do Leão por 8 a 1.
O futebol brasileiro ficou de luta no dia 11 de maio de 1996.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *